Poder

Bandidos levam R$ 30 mil de cliente na porta do Banco do Brasil na Cohama

A “saidinha bancária” fez mais uma vítima na cidade de São Luís. Dois homens a bordo de uma moto roubaram um homem, nas proximidades do Banco do Brasil da Avenida Jeronimo de Albuquerque, na manhã desta quarta-feira (23). De acordo com a polícia, os criminosos teriam ameaçado a vítima com uma arma e levado a quantia de R$ 30 mil que estava em uma mala.

Para a polícia, o crime tem as mesmas características das última ações desse tipo realizadas na Capital, onde dois homens em uma moto realizam a abordagem, roubam o dinheiro e logo em seguida fogem.

Daqui a pouco mais detalhes…


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

Banco do Brasil anuncia nova redução de taxas de juros

Banco do Brasil anunciou mais uma redução nas taxas de juros de empréstimos para pessoas físicas e empresas, que entram em vigor, a partir da próxima segunda-feira, dia vinte e três.

Segundo o comunicado divulgado pelo banco, a taxa mínima do cheque especial vai cair de um vírgula noventa e sete por cento para um vírgula trinta e oito por cento, ao mês. No crédito consignado, os juros recuam de zero vírgula oitenta e cinco por cento, ao mês, para zero vírgula setenta e nove por cento.

Já no financiamento de veículos, a taxa mensal mínima cai de zero vírgula noventa e nove por cento para zero vírgula noventa e cinco por cento.

O Banco do Brasil informou, também, que o volume de operações de crédito da instituição para pessoas físicas aumentou quarenta e cinco por cento desde o dia doze, quando foram anunciadas as primeiras reduções nas taxas.

A média diária de desembolso passou para duzentos e setenta e seis milhões de reais e totaliza mais um bilhão e trezentos milhões de reais em crédito liberado nos últimos cinco dias.

O Banco do Brasil foi a primeira instituição a anunciar um pacote de redução de juros das principais linhas de crédito para pessoas físicas e micro e pequenas empresa – movimento que foi seguido por Caixa, HSBC, Santander, Bradesco e Itaú-Unibanco. Nos últimos dias, o governo federal vem pressionando os bancos para reduzirem o spread, que é a diferença entre o que o banco paga para captar recursos e quanto ele cobra para emprestar – e, com isso, reduzir as taxas de juros praticados no país. Com a queda nos juros dos bancos estatais o governo busca acirrar a concorrência e, assim, forçar os bancos privados a também baixarem as taxas cobradas.

 


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.