Poder

Presidente do STJ é denunciado ao CNJ

Um advogado de Curitiba (PR) apresentou denúncia ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça) contra o presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), Ari Pargendler.

Arnaldo Oliveira Júnior encaminhou a representação à corregedora do CNJ e também ministra do STJ, Eliana Calmon, para que seja investigada a atuação de Pargendler em favor da escolha de sua cunhada e desembargadora do TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região, Suzana Camargo, para uma vaga na própria corte.

Na denúncia, Oliveira pede que seja investigada “a conduta material do senhor ministro Ari Pargendler em se manifestar de modo oficial e solene, inclusive com as insígnias do Superior Tribunal de Justiça e de seu presidente, para apoiar expressa e ostensivamente uma entre os três candidatos indicados na lista tríplice.

O advogado diz que entre as atribuições do CNJ está a de zelar pela aplicação do artigo 37 da Constituição, que diuz que “a administração pública obedecerá aos princípios da impessoalidade e moralidade”.

Reportagem da Folha mostrou que Pargendler fez reuniões com parlamentares para pedir apoio a Suzana, que é a terceira colocada numa lista tríplice para integrar o STJ entregue à presidente Dilma Rousseff. (Presidente 40)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.