Poder

Polícia Federal descobre esquema de “propina” a prefeitos de Tuntum, Mirinzal e Anajatuba

Em áudio periciado pelo Setor Técnico-Científico (SETEC) da Superintendência da Polícia Federal do Maranhão, o delator e laranja da empresa A4 Serviços e Entretenimento Ltda, Anilson Araújo Rodrigues, revela que três prefeitos receberam propina no esquema de corrupção instalado entre 2013 a 2014.

Anilson Araújo detalhou como tudo funcionava e afirmou ter entregue propina para os prefeitos Amaury Santos Almeida (PMDB), Mirinzal; Cleomar Tema Carvalho Cunha (PSB), Tuntum, irmão do futuro presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Cleones Cunha. O áudio foi obtido com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira.

O peemedebista Hélder Aragão, afastado do cargo de prefeito de Anajatuba por corrupção, também é citado como beneficiário da propina. A íntegra da revelação bombástica é mantido em sigilo pelos investigadores PF.

Anônimo: Me responde uma coisa, tu já entregou dinheiro em espécie pra Helder?

Delator: Pra ele mesmo ? Já várias vezes.

Anônimo: Olha aí Braide!

Delator: Mas, não depois dessa história aí?

Anônimo: Sim, não, depois não, antes ano passado foi levar na moto pra ele?

Delator: Há, pra ele, pra ele, levei na moto não foi só nem uma nem duas vez e foi conferido lá.

Anônimo: Pra Tema tu já entregou dinheiro?

Delator: Já.

Anônimo: Foi o que disse pra Tema aqui ontem. Esses caras estão achando.

Ex-deputado Carlos Braide: Quem mais, quem são os outros prefeitos?

Delator: Olha, o Tema, eu já entreguei pro Tema pessoalmente não foi nem uma nem duas, foi várias vezes. Eu já entreguei pro Hélder Aragão inúmeras vezes e já entreguei dinheiro pro…

Carlos Braide/Anônimo: Fred Maia?

Delator: Fred Maia nunca.

Anônimo: Amauri de Mirinzal?

Delator: Amauri aquele do bracinho de Mirinzal.

Cleomar Tema, Amaury Almeida e Hélder Aragão celebraram contratos com “empresas de fachada” usadas para fraudar processos licitatórios e desviar recursos públicos estaduais e federais como – por exemplo -, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

As empresas apontadas no bojo da Operação Attalea, desencadeada pela PF, A4 Entretenimento, M.R. Comércio e Serviços, Vieira e Bezerra Ltda, e a Construtora Construir foram usadas pelo empresário Fabiano Bezerra no esquema de propinagem.

Em contato com o Blog, o prefeito de Tuntum informou que nunca teve contato com ele sobre propina. Alegou que a empresa realizava festa de carnaval, aniversario da cidade em 2013. Tema disse não conhecer o delator, mas sim Fábio Bezerra.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.