Crime

Corregedoria vai investigar servidores da Segurança Pública após prisão de agiota

IMG-20160802-WA0009

A Corregedoria Geral de Segurança Pública do Maranhão já abriu inquérito para apurar se houve responsabilidade funcional por omissão de servidores públicos do Estado no caso do pecuarista Raimar Costa Pinto. Os crimes praticados por ele já eram realizados há algum tempo, segundo informaram as vítimas à polícia.

“Nós tivemos, aqui, notícias de fatos gravíssimos praticados pelo Raimar, com pessoas sendo colocadas em caixões, animais sendo mortos, estradas sendo interditadas, casas lacradas e aquisição de bens de pessoas com dívidas que não terminavam. Nós queremos saber exatamente se isso já acontece há algum tempo, se não houve apuração ou pedido de prisão preventiva ou um procedimento policial para apurar tais práticas. A nossa Corregedoria Geral de Segurança vai a Barra do Corda fazer o levantamento se há notícia do crime ou instalação do inquérito”, disse o secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela.

image-29-e1470019991793

O pecuarista foi preso na última sexta-feira (29), em Barra do Corda, acusado de agiotagem, crime ambiental, posse ilegal de arma de fogo, ameaças e tortura.

A polícia chegou até o pecuarista após uma das vítimas ser expulsa de sua própria casa, lacrada com tábuas e pregos pelo suspeito. Dentro da residência, os policiais encontraram o cachorro da vítima morto, evidenciando mais uma forma de intimidação da vítima.

Durante a prisão e condução dele à delegacia, o pecuarista chegou a ameaçar os policiais, conforme relatou o delegado regional Renilto Ferreira.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Pecuarista acusado de agiotagem torturava ‘clientes’ para cobrar dívidas

image-29-e1470019991793

Foi apresentado na manhã desta terça-feira (2), em São Luís, o pecuarista Raimar Costa Pinto, preso acusado de crimes de agiotagem, posse ilegal de arma de fogo, ameaças, invasão a domicílios, entre outros crimes em Barra do Corda. A prisão foi efetuada na última sexta-feira (29), pela equipe da 15ª Delegacia Regional de Barra do Corda.

Durante a prisão e condução dele à delegacia, o pecuarista chegou a ameaçar os policiais, conforme relatou o delegado regional Renilto Ferreira. “No ato da condução da chácara para a delegacia, em três oportunidades dentro da viatura, ele veio a comentar que tinha idade elevada e que para ele não tinha mais importância quanto tempo mais de vida ele teria, que ele já tinha seu caixão comprado, seu túmulo feito, o qual tinha feito com cinco vagas: ele, o delegado e sua equipe que estava dentro da viatura”, conta.

A polícia chegou até o pecuarista após uma das vítimas ser expulsa de sua própria casa, lacrada com tábuas e pregos pelo suspeito. Dentro da residência, os policiais encontraram o cachorro da vítima morto, evidenciando mais uma forma de intimidação da vítima. “Após os policiais arrombarem a casa, foi constatado um mau cheiro muito forte, e localizado o cachorro da vítima, provavelmente morto pelo pecuarista. O cachorro estava dentro de uma bolsa da vítima, em cima da cama dela”, disse o delegado. Por causa disso, o pecuarista também vai responder por crime ambiental.

Na casa de Raimar, foram encontrados outros objetos que evidenciam a prática criminosa. As ameaças eram direcionadas também a parentes.

Por meio de ‘oitivas informais’, outras vítimas apontaram outros métodos de tortura e intimidação. Uma delas chegou a ser colocada dentro de um caixão. “Vítimas que alegaram esses tipos de tortura, de serem obrigadas a se deitarem dentro de um caixão que o pecuarista possui em sua residência, serem torturadas mediante facas, agressões físicas e tudo mais, como forma de estarem sendo intimidadas a quitarem esses juros exorbitantes que por vezes se multiplicavam, que começavam na faixa de 3% a 4%, ia para 10%, ia para 20% e a dívida se tornava infindável”, completa Ferreira.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Bomba! Depoimento na Seic aponta esquema entre agiota Figueredo e prefeitos

thumbnail_IMG_0147-e1460581362754

Agiota Figueiredo

O empresário e contador José Epitácio Muniz Silva, o Cafeteira, acusado de ser laranja da quadrilha que desviou milhões de diversas Prefeituras com esquema de agiotagem, deu depoimento bombástico para os delegados da Superintendência Estadual de Combate à Corrupção (SECCOR).

No depoimento, Cafeteira revelou atuação do agiota Figueredo como chefe de uma organização criminosa (ORCRIM), que mantém escritório no bairro do Olho D’Água.

O contador era quem dava suporte na organização e montagem de empresas fantasmas, que faziam a lavagem dos recursos públicos desviados nas Prefeituras de Marajá do Sena, Zé Doca, entre outras.

Obtido com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira, o depoimento de José Epitácio trás confissões que as empresas de fachada estavam em seu nome, mas que de fato o proprietário é o agiota Figueredo. O Blog já havia divulgado uma matéria detalhando o esquema comandando por Figueredo. (Reveja)

Figueredo já é bastante conhecido no meio político, mas ninguém ainda tinha descoberto como funcionava a sua relação com a iniciativa pública. Desse modo, operava livremente entre as gestões municipais, por meio de empresas fantasmas.

Uma das empresas que operava no esquema é a Construtora Projeto, que desenvolve entre outra atividades, obras de terraplanagem, coleta de lixos perigosos e perfuração de poços artesianos; e a São Jorge, que provavelmente foi encerrada.

Além da Construtora Projeto, há participação de outras empresas, mas essa é uma outra história.

Cafeteira-empresa


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Empresário é apontado como “agiota” e chefe de “quadrilha”

A Superintendência de Combate à Corrupção (SECOR), identificou tentáculos de um empresário operando há anos ocultamente de forma ilícita no ramo da agiotagem com prefeituras do Maranhão

De acordo com documentos, o esquema é movimentado através de empréstimos milionários para prefeitos – na época da campanha eleitoral – e construtores que possuem contratos com a iniciativa pública.

O esquema, segundo documento que faz parte de inquérito da policial, é alimentado pela quadrilha através de contratos entre prefeituras e empresas que estão em nome de laranja. Um escândalo!

Inclusive, um dos laranjas que era usado pelo agiota, chegou a ser preso durante as operações “Morta Viva” e “Marajá” realizadas por homens da Polícia Civil e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Na polícia, o laranja colaborou em depoimento detalhando como funcionava a sofisticação de obter o pagamento onde era veiculado o empréstimo do agiota a contratação de suas empresas, simulando a licitação pública e fraudando o espirito dessa concorrência.

O laranja também apontou o empresário como chefe da organização criminosa (ORCRIM), conforme documento obtido pelo Blog do Neto Ferreira.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder / Política

Inquérito investiga cheques milionários de deputado

Toca Serra, deputado estadual.

Toca Serra, deputado estadual.

Atuando contra crimes de agiotagem envolvendo gestores públicos e empresários maranhenses, a comissão de delegados da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) investiga o elo de um deputado estadual e Josival Cavalcanti da Silva, o agiota Pacovan, que teve cartões, pastas contendo documentos e cheques apreendidos em seu cofre. A relação dos documentos foi obtido com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira.

De acordo com o delegado da Seic Leonardo Bastian Fagundes, todos os responsáveis pelos documentos apreendidos durante as operações “Maharaja” e “Morta-Viva”, estão sendo investigados pela Comissão Estadual de Agiotagem em um inquérito classificado de ‘mãe’.

Apesar de ter assumido o cargo de deputado estadual no lugar de Edivaldo Holanda (PTC), Domingos Erinaldo Sousa Serra, conhecido como Toca Serra (PTC), é alvo do grupo de combate agiotagem por emitir dois cheques com valores de R$ 1.060.000,00 (um milhão e sessenta mil reais) e outro de R$ 1.500,000,00 (um milhão e quinhentos mil), chegando no total de R$ 2.560. 000,00 (dois milhões e quinhentos e sessenta mil reais).

Tendo a autorização do respectivo argão, pode ser investigado. Todo mundo vai ser investigado com relação a todas as apreensões que foram feitas. Agora o fluxo é muito grande de provas“, confirmou o delegado sobre o membro da Assembleia Legislativa aparecer a lista.

A Seic também investiga o ex-secretário de Saúde de Santa Rita, Uthan Avelino de Jesus Carvalho. No escritório de Pacovan, foram encontrados dois cheques da Caixa Econômica Federal com os respectivos valores R$1.600.000,00 e R$ 171.000,00.

Confira na integra documento confirmando que houve apreensões de dois cheques do parlamentar.

Documento que comprova a participação do parlamentar com esquema de agiotagem.

Documento que comprova a participação do parlamentar com esquema de agiotagem.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Operação contra agiotagem leva ex-prefeito detido

Mindubim Aguar prestou depoimento.

Mindubim Aguar prestou depoimento.

O ex-prefeito de Arari, José Antônio Nunes Aguiar, conhecido por ​Mindubim, foi detido ontem (04), em operação da Superintendência de Combate à Corrupção (Seccor) da Polícia Civil do Maranhão, após o cumprimento de três mandados de busca e apreensão, dois executados em Vitória do Mearim e um na capital São Luís. A ação é desdobramento das investigações relacionadas às centenas de cheques administrativos de prefeituras, assinados por prefeitos e ex-prefeitos, encontrados com o agiota Gláucio Alencar, preso como mandante do assassinato do jornalista Décio Sá, cujo blog denunciava a rede de corrupção que desviou milhões de reais dos cofres de diversos municípios maranhenses.

Segundo o superintendente da Seccor, delegado Lawrence Melo Pereira, entre os cheques apreendidos havia vários de emissão da Prefeitra de Arari de 2005 e 2006, quando Nunes Aguiar comandou a administração municipal, com valores que variam de R$ 12 mil a R$ 102 mil, além de cheques em branco.

O ex-prefeito está sendo interrogado neste momento. Sua assinatura foi coletada para possibilitar a realização de exame grafotécnico. Documentos, pendrives e HDs completam a colheita que vai subsidiar a apuração. Face a sua condição de advogado, todo o processo contra Nunes Aguiar teve acompanhamento de representante da OAB.

Embora a investigação criminal original, que apurou o assassinato de Décio Sá, remonte a 2012, as operações de combate à corrupção e ao desvio de verbas públicas decorrentes “somente ganharam celeridade após a posse do governador Flávio Dino, em 2015, que deu carta branca à Polícia”, destaca o superintendente Lawrence Pereira.

A operação de hoje teve a coordenação dos delegados Roberto Fortes e Leonardo Bastian, da Comissão de Combate à Agiotagem da Seccor. Além da ação que resultou na detenção de Nunes Aguiar, já foi promovido levantamento patrimonial do investigado, já que também é objetivo essencial o ressarcimento aos cofres públicos dos recursos desviados.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Agiota é executado em São Luís

Foi executado na noite de segunda-feira (06), um homem conhecido como Edson, no bairro da Cohab, em São Luís. Ele estava em uma caminhonete Hilux, quando foi atingido pelos disparos.

De acordo com a Polícia Militar, Edson levou 15 tiros e morreu no local. Ainda de acordo com a Polícia, a vítima foi deixar a esposa na academia quando pistoleiros o abordaram e efetuaram os tiros.

O crime levou curiosos ao local, além de uma parenta de Edson que aparece no vídeo acima lamentando o trágico acontecimento.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Denúncia do blog faz deputado pedir investigação sobre agiotagem em Pedro do Rosário

Deputado estadual Fernando Furtado.

Deputado estadual Fernando Furtado.

Após matéria veiculado neste blog titulada “Edivaldo Holanda deve abrir vaga para investigado na agiotagem“, o deputado Fernando Furtado (PCdoB) declarou que o Sistema de Segurança Pública do Estado precisa investigar urgentemente, também, denúncias de crimes de agiotagem que estariam envolvendo o prefeito da cidade de Pedro do Rosário, Irlan Serra.

Para o deputado, há graves denúncias no município que precisam ser apuradas. “Agora, recentemente, foram encontrados nos cofres do Pacovan dois cheques emitidos em nome de Domingos Erinaldo Sousa Serra. Cheques esses no valor de um milhão e sessenta mil e outro no valor de um milhão e quinhentos mil. E esse jovem Domingos Erinaldo Sousa Serra, mais conhecido politicamente como Toca Serra, é irmão do prefeito Irlan Serra”, afirmou Fernando Furtado na tribuna.

Ele acrescentou que ficou surpreso porque a polícia efetuou a prisão de diversos ex-prefeitos e suspeitos de agiotagem e não prendeu o prefeito de Pedro do Rosário, Irlan Serra.

Toca Serra, irmão do prefeito de Pedro do Rosário.

Toca Serra, irmão do prefeito de Pedro do Rosário.

“Estão lá os cheques comprovados em nome dele, e não foi preso. Como é que um cidadão desse, que comete esse tipo de atrocidade, porque é atrocidade um cidadão que não tem posses, não tem fazenda, não é empresário para ter esse volume de dinheiro. Então, aqui está provado e constatado que são recursos desviados do município. Recursos esses que deixam a cidade sem as obras; que deixa as crianças sem a merenda escolar, o hospital sucateado, e a cidade sem assistência nenhuma”, denunciou o deputado.

Em seu discurso, Fernando Furtado advertiu que o município de Pedro do Rosário corre o risco de entrar em colapso, a qualquer momento, porque não tem estrada vicinal e está com suas obras públicas totalmente paralisadas.

O deputado disse que está indignado porque o prefeito Irlan Serra chegou a dizer, para uma rádio comunitária, que tem 30 milhões de reais para investir em Pedro do Rosário: “Eu não sei, só se ele está assaltando os bancos que estão sendo assaltados aí pelo Maranhão afora, e ele está juntando, só se for isso! Porque eu não sei de onde esse moço vai tirar 30 milhões para investir em obras. Então, essa é uma grande preocupação e aí que queria aqui pedir ao Sistema de Segurança Pública que prenda esse pessoal. Predam, tem que prender! Se desviou dinheiro do povo, tem que prender! Bandido tem que estar é na cadeia”, ressaltou Fernando Furtado, ao concluir seu discurso.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Ex-prefeito prestou depoimento sobre envolvimento com agiotagem

O ex-prefeito de Zé Doca, Raimundo Nonato Sampaio, compareceu à 1ª Promotoria de Justiça da Comarca, onde prestou informações no inquérito civil que apura sua participação no esquema de agiotagem comandado pelo grupo de Gláucio Alencar Pontes Carvalho, acusado de ser um dos mandantes da morte do jornalista Décio Sá.

Ex-prefeito Natin.

Ex-prefeito Natin.

Em depoimento à promotora Simone Chrystine Santana Valadares, Natim (como é conhecido o ex-prefeito) negou envolvimento no esquema de agiotagem que envolvia diversos municípios maranhenses, inclusive Zé Doca. O ex-gestor afirmou que apenas recebeu ajuda de Gláucio Alencar para a sua campanha eleitoral em 2008, no valor de R$ 100 mil. Desses, R$ 50 mil seriam a título de empréstimo e o restante como ajuda de campanha, a ser paga com o fornecimento de merenda escolar para o município.

Ainda de acordo com o ex-prefeito, uma das empresas ligadas a Gláucio Alencar forneceu merenda escolar para o Município de Zé Doca por um período de pouco mais de um ano. Natim afirma que sofreu ameaças de morte após rescindir o contrato, tendo em vista que a merenda escolar fornecida era de péssima qualidade e não cumpria o percentual de pelo menos 30 porcento de produtos produzidos no próprio município, pelo programa da agricultura familiar.

De acordo com Simone Valadares, desde abril de 2012, quando assumiu a 1ª Promotoria de Justiça de Zé Doca, já foram propostas 25 ações cíveis e criminais somente contra o ex-prefeito Raimundo Nonato Sampaio. Diversos outros procedimentos administrativos e inquéritos civis sobre desvios de verbas do erário por agentes públicos continuam em tramitação na promotoria.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Edivaldo Holanda deve abrir vaga para “investigado na agiotagem”

Deputado estadual Edivaldo Holanda.

Deputado estadual Edivaldo Holanda.

O deputado estadual Edivaldo Holanda (PTC) está prestes a tirar uma licença médica de cerca de quatro meses para tratar de sua saúde. Ocorre que a pessoa mais cotada para substituir Holandão no plenário é ninguém menos que Domingos Erinaldo Sousa Serra, o Toca Serra (PTC).

Domingos é irmão do prefeito de Rosário, Irlan Serra (PTC), e foi candidato a deputado estadual. Durante as operações de combate ao crime de agiotagem que culminou com a prisão do agiota Josival Cavalcanti, o Pacovan, a polícia encontrou no cofre do empresário dois cheques do Banco do Brasil assinados por Toca Serra. Um no valor de R$ 1.060,000,00 e outro de R$ 1.500,000,00.

Toca Serra, irmão do prefeito de Pedro do Rosário.

Toca Serra, irmão do prefeito de Pedro do Rosário.

Juntos, os valores ultrapassam dois milhões de reais. Durante as eleições passadas, Toca Serra comprou o céu e o inferno para tentar se eleger, mas acabou como primeiro suplente da coligação da qual Holandão se elegeu.

Agora, ele terá que se explicar na Polícia Civil sobre a origem e finalidade de dois cheques com valores tão absurdos estarem com Pacovan. Pela gravidade dos valores de cada cheque, existe forte indício de que o ex-candidato vá parar atrás das grades.

Diante deste fato, é imoral e inadmissível que a Assembleia Legislativa permita que um investigado por agiotagem ocupe um cargo, ainda que temporariamente, de altíssima relevância.

Se Domingos Erinaldo assumir a vaga de Holanda, certamente a moralidade da Casa do Povo será colocada em cheque, pois, permitir sua permanência é compactuar com o crime de agiotagem, é colocar o problema que mais tem assobrado o Maranhão dentro de um ambiente, que, teoricamente, deve haver honestidade.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.