Poder

Edivaldo Júnior deixa crianças à mercê de bandidos em São Luís

Prefeito Edivaldo Júnior.

Prefeito Edivaldo Júnior.

O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PTC), voltou a ser cobrado por medidas urgentes e eficazes da Secretaria Municipal de Educação de São Luís (Semed) para equacionar o problema da falta de segurança nas escolas, bem como a sua reestruturação com um corpo administrativo capaz de atender às necessidades das escolas e um novo projeto pedagógico que assegure educação de qualidade e um futuro promissor para as crianças da capital.

Em episódios recentes, armas brancas foram apreendidas entre os alunos da UEB Zuleide Andrade (zona rural); uma professora teve seu carro roubado em frente à UEB Maria José Serrão no Turu; e a UEB Bandeira Tribuzzi, no Centro, foi invadida por bandidos armados que renderam e roubaram objetos pessoais de funcionários e equipamentos da escola. Em nenhum dos casos, havia vigilância escolar.

“Temos que transformar as nossas escolas em um local prazeroso para os professores e alunos. Não podemos admitir que a situação permaneça como está. O clima é de pavor e total insegurança. Vários assaltos já foram registrados nos últimos dias. A apreensão de armas brancas dentro dos estabelecimentos de ensino é estarrecedor e assustador”, pontuou um professor.

Armas brancas apreendidas na UEB Zuleide Andrade.

Armas brancas apreendidas na UEB Zuleide Andrade.

Neste ano o secretário Geraldo Castro reduziu a 50% o número de vigilantes terceirizados nas escolas. As escolas encontram-se em áreas controladas pelo tráfico de entorpecentes. Diferente das escolas de São Luís, as de São José de Ribamar são protegidas pela Guarda Municipal.

Além do descaso público, as escolas não possuem estrutura adequada para um ensino de qualidade. Corredores e bibliotecas estão sendo transformados em sala de aula. Não há vigilante e muito menos corpo administrativo. O professor assume responsabilidades que não lhe competem gerando uma sobrecarga humanamente impossível.

Embora o caos afeta até mesmo psicológico dos educadores, o prefeito de São Luís sequer executa medidas para evitar que marginas invadem as escolas.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.