Saúde

Pacientes tomam soro em pé em Hospital Regional de Itapecuru

A Prefeitura de Itapecuru-Mirim não tem deflagrado ações de combate ao mosquito pela cidade e, em consequência disso, as doenças se proliferam e a tendência é que os hospitais fiquem cheios.

Caos. Essa é a palavra que define a atual situação do Hospital Regional Adélia Matos Fonseca, em Itapecuru-Mirim.

Segundo denúncias enviadas ao Blog do Neto Ferreira, a unidade hospitalar não está conseguindo atender a demanda de pacientes que chegam a todo momento devido às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti. Há pessoas sendo medicadas em pé ou em cadeiras totalmente inapropriadas, como mostram as fotos abaixo.

A Prefeitura de Itapecuru-Mirim não tem deflagrado ações de combate ao mosquito pela cidade e, em consequência disso, as doenças se proliferam e a tendência é que os hospitais fiquem cheios. Porém, a direção do Adélia Matos também não tem tomado providências para melhorar as condições de atendimento da casa de saúde.

Enquanto isso, pacientes sofrem com o descaso do Poder Público para com a saúde do município.

b1b6915afbdbd026687dadb4b707ce39

cdd0227ce69c660ac3d273fe545ba622


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

2 comentários em “Pacientes tomam soro em pé em Hospital Regional de Itapecuru”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Alberto Júnior

    Só faltou explicar que o hospital regional está atendendo uma média de 400 pacientes diariamente com suspeitas de zika, dengue e chicungunha (só de Itapecuru) pelo fato dos postos de saúde não atenderem à população. O hospital é para urgência e emergência, tem 92 leitos e lotado porque NÃO MANDA QUAQLUER PACIENTE pra casa, todos são atendidos. Mas há um limite, visto que o hospital é REGIONAL e atende a 14 município além de Itapecuru.

  2. Ruan

    Isso é verdade a poucos dias estive no referido hospital, e de fato estava cheio ( não na média citada), na ocasião dois dos três medicamentos para o meu atendimento de urgência não estavam disponíveis como exemplo complexo B para colocar no soro, tive que comprar, o ar condicionado não funciona, além do ineficaz atendimento médico.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários