Política

Para abafar a crise do PMDB, Sarney entra em cena

José Sarney ofereceu um jantar em sua residência para discutir a situação do partido

José Sarney (Foto: Agência Brasil)

José Sarney (Foto: Agência Brasil)

Do blog do Marcelo Vieira

A disputa pela presidência estadual do PMDB entre os grupos do senador João Alberto e do ex-deputado Ricardo Murad, poderá abrir uma crise interna sem precendentes, o que pode culminar no enfraquecimento do partido no Maranhão.

Pressionado por Ricardo Murad, José Sarney ofereceu um jantar em sua residência para discutir a situação do PMDB. Durante o encontro, ficou decidido que a deputada Andrea Murad, filha de Ricardo Murad, será candidata à presidência da executiva estadual do partido, contra o atual presidente, o senador João Alberto.

Adversários declarados de Ricardo, João Alberto e o deputado estadual Roberto Costa não puderam participar do jantar.

Outro encontro, desta vez entre Sarney, João Alberto e Roberto Costa deve acontecer nos próximos dias.

O grupo que detiver o controle da legenda irá comandar o processo eleitoral para 2016. No bojo da disputa, a candidatura de Ricardo Murad a prefeito de São Luís. O grupo do senador é contra.

Nos bastidores já corre a notícia que o ex-presidente Sarney irá selar a paz no PMDB permitindo que Andrea saia candidato, mas, trabalhando nos bastidores para manter João Alberto com o comando do partido.

Problema resolvido…

Novos aliados

O vereador Fábio Câmara (PMDB), foi chamado agora há pouco para uma conversa com ex-presidente José Sarney (PMDB/AP), em sua residência, no Calhau, para tratar sobre a eleição da executiva estadual da legenda. Ontem, Sarney decidiu, durante um jantar oferecido ao grupo do ex-secretário Ricardo Murad, também em sua residência, no Calhau, que a deputada Andrea Murad seria candidata à presidência do partido no Maranhão.

Aos mais próximos, Câmara afirmou categoricamente, que se o assunto fosse o seu apoio à candidatura de Andrea, a resposta seria não. E mais, afirmou ainda que se for preciso prefere deixar o PMDB a ter que votar na filha de Ricardo.

Câmara e Murad romperam durante a campanha de 2014, quando o vereador foi preterido pelo então secretário de saúde e homem forte do governo Roseana. Á época, Murad não queria nem ouvir falar o nome do ex-aliado e como retaliação mandou demitir todos os aliados de Câmara que tinham cargos no governo.

Agora, desesperado, Ricardo tenta de todas as formas se reaproximar do vereador para ajuda-lo em mais um projeto pessoal. Pelo jeito, o jogo virou!!


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários