Política

Rigo Teles quer instituir contratação de bombeiros civis no Maranhão

Rigo Teles.

Rigo Teles.

O deputado Rigo Teles (PV) anunciou na manhã desta quarta-feira (9), durante pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa, que protocolou projeto de lei na Mesa Diretora da Casa, dispondo sobre a obrigatoriedade de contratação de bombeiros civis, por estabelecimentos onde haja grande circulação de pessoas nos grandes municípios do Estado do Maranhão.

De acordo com o projeto, que será apreciado pelos deputados em plenário antes do recesso do final do ano, as entidades privadas, clubes sociais e empresas de todo o gênero e afins, onde haja grande concentração de pessoas em ambiente cuja área seja superior a 750 m² de construção, são obrigadas a contratar bombeiros civis na forma do que disciplina o projeto de lei.

Para Rigo Teles, seu projeto é importante porque o Governo do Estado do Maranhão não dispõe de bombeiros militares para suprir as necessidades dos 10 maiores municípios. Segundo ele, a ideia do projeto é qualificar empresas privadas, para disponibilizar bombeiros civis, que trabalharão no combate aos incêndios em estabelecimentos com grande circulação de pessoas.

O parlamentar afirmou que o objetivo do projeto é evitar incêndios de grandes proporções nos maiores municípios do Maranhão. “Os bombeiros civis exercerão função semelhante a dos seguranças privados, e serão treinados para atender as empresas que sofrem prejuízos com os incêndios, e também o combate às queimadas que causam danos ao meio ambiente”, explicou.

O projeto diz que é estabelecido o número mínimo de bombeiros civis por estabelecimento, bem como sua formação, qualificação e atuação, de acordo com o que define a Norma Brasileira de Regulamentação (NBR), nº 14.608 de 2007, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), assim como previsto pelo Comitê Brasileiro de Segurança Contra lncêndio (ABNT/CT- 24).

A proposição considera bombeiros civis aqueles que, habilitados nos termos da Lei Federal nº 11.901, de 12 de janeiro de 2009, exerçam, em caráter habitual, função remunerada e exclusiva de prevenção e combate a incêndio, como empregado contratado diretamente por empresas privadas ou públicas, sociedades de economia mista ou empresas especializadas em prestação de serviços de prevenção e combate a incêndio.

TRABALHO CONJUNTO

No atendimento aos sinistros em que atuem, em conjunto, os bombeiros civis e o Corpo de Bombeiros Militar, a coordenação e a direção das ações caberão, com exclusividade e em qualquer hipótese, à corporação militar. Compete ao Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Maranhão o credenciamento de escolas ou empresas qualificadas no serviço de bombeiro civil, bem como a fiscalização, aplicação de multas e a fiscalização da lei.

O projeto de lei deixa claro que o Corpo de Bombeiro Militar do Estado do Maranhão aprovará normas técnicas com vistas ao credenciamento das empresas de bombeiros civis, ao credenciamento das escolas de formação de bombeiros civis, à regulamentação dos cursos de formação de bombeiros civis, à aprovação dos uniformes e vestimentas em geral e à aprovação de identificação visual e sonora dos veículos em uso durante o trabalho.

Durante a elaboração das normas técnicas, o Corpo de Bombeiro Militar do Estado do Maranhão obedecerá ao que dispõe a Lei Federal nº 11.901, de 12 de janeiro de 2009, bem como as normas específicas da ABTN. As medidas de fiscalização e aplicação de multas, conforme dispõe o caput deste artigo, tem como objetivo coibir o exercício ilegal da profissão por pessoas não qualificadas nas condições determinadas pela Norma Brasileira de Regulamentação (NBR), sem prejuízo das sanções criminais, civis e processuais cabíveis.

MULTAS E PENALIDADES

As empresas especializadas e os cursos de formação de bombeiro profissional civil, bem como os cursos técnicos de nível médio de prevenção e combate a incêndio, em caso de infração das disposições contidas na NBR nº 14.608/2007 e da Lei nº 11.901, de 12 de janeiro de 2009, ficarão sujeitas às seguintes penalidades: multa de 1 a 100 salários mínimos, conforme o grau de risco da empresa, proibição temporária de funcionamento e cancelamento da autorização e registro para funcionar.

A proposição sugere autorização de realização de convênio entre o Corpo de Bombeiros Militares do Estado do Maranhão e os órgãos de defesa civil e demais entidades que se utilizem do serviço de bombeiro civil, para aquisição de equipamentos, viaturas e assistência técnica a seus profissionais. Os estabelecimentos terão o prazo de noventa dias para incluírem bombeiros civis de ambos os sexos nos respectivos quadros de pessoal.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

3 comentários em “Rigo Teles quer instituir contratação de bombeiros civis no Maranhão”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Rigo Teles quer instituir contratação de bombeiros civis no Maranhão : Blog do João Silva

    […] Do Neto Ferreira […]

  2. Jorge Rachichi

    Chega de medidas paliativas, queremos é unidades do corpo de bombeiros, nos municípios e não pequenos grupos de pessoas contratadas quem não estimulo algum para trabalhar devido as condições que são dadas aos contratados, tem que ser feito concurso público e não contratar o pessoal.

  3. ADEILDO FERNANDES LIMA

    MUITO BOM JA EH MAS OPORTUNIDADE DE EMPREGO, E MELHOR PARA OS FORMADOS EM BOMBEIRO CIVIL…. VAI SER BOM TAMBEM PRA SOCIEDADE..

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários