Política

Pedro Fernandes é pressionado sobre falta de aulas em escolas do estado

A Promotoria de Justiça de Defesa da Educação diz que aá escolas em que nenhuma aula foi ministrada até agora em determinadas disciplinas", enfatizou Paulo Avelar.

O promotor de justiça Paulo Silvestre Avelar Silva, titular da Promotoria de Justiça de Defesa da Educação de São Luís, recebeu na manhã desta quarta-feira, 8, o secretário de Estado da Educação, Pedro Fernandes e representantes da sua equipe e pediu que o titular da pesta se manifestase sobre a falta de aula em escola do estado. Entre os temas discutidos estiveram a greve dos professores, o déficit de profissionais nas escolas e as reformas no Centro Integrado Rio Anil (Cintra) e no Centro de Ensino Governador Edison Lobão (Cegel).

Secretário Pedro Fernandes terá que se manifestar.

Secretário Pedro Fernandes terá que se manifestar.

A respeito da greve, o secretário afirmou que há escolas com paralisação total, outras funcionando parcialmente e algumas em ritmo normal. A questão salarial, de acordo com o secretário, está sendo discutida diretamente entre os professores e a Secretaria de Orçamento, Planejamento e Gestão e que o estado fez uma proposta aos professores, que seria levada a conhecimento da classe em assembleia. É aguardada uma resposta até o final da semana.

A questão da falta de professores em sala de aula também foi discutida na reunião. O coordenador da Unidade Regional de São Luís explicou o processo de remapeamento de pessoal nas escolas. Um sistema informatizado vai concentrar as informações a respeito dos professores e servidores administrativos na rede, cruzando dados e verificando a necessidade real existente. O prazo para a conclusão desse trabalho é de 60 dias.

A Promotoria de Justiça de Defesa da Educação, que realizou um levantamento recentemente, com dados fornecidos pelos gestores das escolas de São Luís, encaminhará esses dados ao secretário, para que ele se manifeste sobre o assunto. “A situação é urgente e não podemos aguardar 60 dias para resolvê-la. Há escolas em que nenhuma aula foi ministrada até agora em determinadas disciplinas”, enfatizou Paulo Avelar.

O secretário Pedro Fernandes afirmou que o Estado tem a intenção de realizar um novo concurso para professores ainda em 2013, mas que depende da conclusão do levantamento sobre a carência existente em toda a rede estadual de ensino.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Pedro Fernandes é pressionado sobre falta de aulas em escolas do estado”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. REPORTER DO BONDE

    O certo eh que muitos picaretoes diretores de escolas estao querendo atrapalhar o trabalho de Pedro fernandes, e im pedem que muitos professores que querem dar aulas nao o facam,pois deixam somente o pessoal pelego de sindicatos mandarem nas escolas, como no caso que vi in loco no coelegio Bacelar portela, Coelho neto e gonçalves dias,onde diretorias de faz de conta nao mandam nada nas escolas numa ausencia de gerenciamento sem precedentes.Pedro fernandes nem vai nas escolas e prefere ficar trancafiado num gabinete do monte castelo,fazendo de conta que esta gerindo essa ma educaçao.Roseana por seu turno quer massacrar os professores,negando os direitos adquiridos a decadas,deixandos os professores p da vida com retirada da GAM,nao progressao e promocao automatica dos professores.Enfim esta um caos essa educaçao administrada por Pedro Fernandes,e pior com nossa governadora corroborando com essa ingerencia total na educaçao do estado.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários