Poder

Gestão de Edivaldo Júnior é acionada por não reformar escolas precárias em São Luís

A 1ª Promotoria de Justiça Especializada em Defesa da Educação requer que a Prefeitura de São Luís seja obrigada a realizar a imediata reforma de 10 escolas municipais que apresentam precárias condições estruturais. A Ação Civil Pública de obrigação de fazer, com pedido de liminar, foi ajuizada em 19 de dezebro.

As intervenções devem atender às adequações necessárias para garantir a segurança dos alunos, em cumprimento às determinações contidas nas Normas Técnicas (ABNT) e de biossegurança determinadas pelas autoridades sanitárias.

As Unidades de Ensino Básico (UEB’s) que devem ser beneficiadas são João Lima Sobrinho – Coeduc, Darcy Ribeiro, Aquiles Lisboa, São Sebastião, Hortência Pinho, João de Sousa Guimarães – anexo Criança Esperança, Evandro Bessa/Anexo Raimundo Francílio Pereira, Antonio Vieira, Camélia Costa Viveiros e Evandro Bessa.

Segundo o promotor de justiça Paulo Avelar, titular da 1ª Promotoria de Educação de São Luís, as medidas são essenciais para o retorno seguro das aulas presenciais, com o oferecimento de condições adequadas e salubres à comunidade escolar.

Paralelamente às obras, de acordo com o pedido do MPMA, a Prefeitura de São Luís deverá promover a interdição das escolas em questão até que sejam concluídas as reformas, a fim de evitar risco à vida e à saúde de alunos, professores, funcionários e demais frequentadores do ambiente escolar, aproveitando-se da suspensão das aulas presenciais em razão da pandemia da Covid-19.

Deverá ser providenciado também o remanejamento dos alunos para escolas próximas, no caso da retomada das aulas presenciais, fornecendo o Município o transporte escolar adequado, até a conclusão da reforma.

Em caso de descumprimento das medidas que vierem a ser determinadas judicialmente, foi requerida a aplicação de multa diária em desfavor do erário municipal no valor de R$ 10 mil, além de multa pessoal ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior, ou seu sucessor, no decorrer da ação, no valor de R$ 1 mil reais, que deverá ser revertida em favor do Fundo Estadual de Proteção dos Direitos Difusos – FEPDD.

SITUAÇÃO DAS ESCOLAS

A partir de procedimentos instaurados pela 1ª Promotoria de Educação de São Luís, foi verificada a precariedade das instalações das escolas em questão. “Apesar da retomada das aulas no formato remoto, as escolas da rede municipal de educação permaneceram fechadas desde o mês de março de 2020, o que agravou os problemas estruturais já existentes antes da pandemia, associada a uma manutenção precária, além do período chuvoso que já começa a se intensificar”, pontua o promotor de justiça na ação.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Gestão de Edivaldo Júnior é acionada por não reformar escolas precárias em São Luís”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. MORADORES DO LOTEAMENTO NOVO TURU

    Péssimo prefeito aqui pro bairro do Turu, ruas próximas ao Motel Afrodite e Boate Zero Um.
    As nossas ruas nunca foram asfaltadas, sem nenhuma infraestrutura, sem saneamento básico, etc.
    Nunca que esse incompetente e os atuais vereadores vieram aqui.
    Já vão tarde demais e não vão deixar saudades.
    Pena que não houve renovação 100% na Câmara de Vereadores.
    Vamos ter aguardar agora a nova gestão municipal pra começar do zero as nossas reivindicações.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários