Poder

Grupo Sarney se aproxima do bolsonarismo no Maranhão

Um dos clãs mais longevos e notórios da política brasileira, os Sarney veem boa parte de seus aliados históricos flertando com o bolsonarismo no Maranhão, tendência que deve ficar mais evidente nas eleições deste ano. O alinhamento com o presidente Jair Bolsonaro é a estratégia para aumentar a polarização com o governador Flávio Dino (PCdoB) e frear o crescimento político que ele teve nos últimos anos.

Pela primeira vez em anos, apenas um integrante da família Sarney tem mandato. Deputado estadual e filho do ex-ministro Sarney Filho, Adriano Sarney (PV) abandonou em público o sobrenome famoso, fato que teria causado certa decepção entre familiares — politicamente, usa apenas Adriano. Ele é um dos nomes cogitados para concorrer à prefeitura de São Luís, mas adversários dizem que uma derrota poderia colocar de vez uma pá de cal na carreira política da família.

O grupo dos Sarney pode apoiar também a pré-candidatura do deputado federal Eduardo Braide (Pode-MA). Ele enviou nota em que diz que “não pertence a nenhum grupo político no Maranhão”, mas que tem dialogado com “diversos segmentos” e que “tem prezado pelo diálogo com quem desejar o bem do estado e da capital maranhense”. O parlamentar avança na base bolsonarista e no segmento evangélico. Um de seus principais aliados, o também deputado federal Pastor Gildenemyr (PL-MA), é um dos maiores apoiadores do presidente no estado. A articulação dos aliados do clã Sarney é para que haja uma única candidatura de oposição ao cargo, para impedir a vitória de um político alinhado ao governador.

Do jornal O Globo


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários