Poder

Compra de respiradores e EPI’s custou mais de R$ 181 mil para Prefeitura de Miranda do Norte

A Prefeitura de Miranda do Norte, administrada por Carlos Eduardo Fonseca Belfort, o Negão, pagou por respiradores pulmonares e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) que não foram entregues. A informação é da Polícia Federal, que deflagrou na manhã desta quarta-feira (5) a operação Falsa Esperança no município (reveja aqui).

O Blog do Neto Ferreira teve acesso a dois contratos firmados entre a gestão de Negão e a J J da Silva & Santos LTDA, mais conhecida como Ecosolar – Comercio Projetos, localizada em Paço do Lumiar.

A contratação da empresa, que tem como proprietários Josimiel Jorge da Silva e Neusa Maria Santos da Silva Silva, foi em caráter emergencial e custou R$ 181.408,00 mil, que foram pagos antecipadamente pela Prefeitura.

Fotos do ambulatório de Miranda do Norte, respirador que era para ser entregue, e equipamento que está sendo usado.

Segundo a Polícia Federal, a compra de EPI’s foi superfaturada e houve apenas simulação da aquisição de respiradores pulmonares.

Ainda de acordo com a investigação, a Ecosolar nunca atuou no ramo médico hospitalar, mas sim com a comercialização de acessórios para instalação de aparelhos de ar-condicionado e de energia solar.

A empresa tinha um total de 69 atividades secundárias, que variavam desde a confecção de vestuário, segurança privada e até produção musical.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários