Poder

Empresa de fachada usou “laranjas” para ganhar contrato milionário na Saúde de São Luís

Uma empresa de fachada usou nomes de “laranjas” para ganhar contrato milionário na gestão de Edivaldo Holanda Júnior (PDT), em São Luís. A informação é da Controladoria Geral da União (CGU).

O nome da empresa não foi divulgado pelo órgão da União, mas o Blog do Neto Ferreira apurou que se trata da Precision Soluções Diagnósticos Ltda, das sócias Terezinha de Jesus Neves Bottentuit e Lúcia Maria Chuairy Cunha. Ela abocanhou um contrato de R$ 2,6 milhões, sem licitação, para fornecer 270 mil máscaras cirúrgicas para a Prefeitura da capital maranhense (reveja aqui).

A empresa chegou a ser denunciada a Polícia Federal pelo vereador Umbelino Júnior (relembre).

Além da Precision, outra empresa também foi alvo de investigação.

“Área de investigações da CGU detectou que a Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS) de São Luís teria contratado por dispensa de licitação, em caráter emergencial, para combate à pandemia de Covid-19, duas empresas sem capacidade técnico-operacional para fornecimento de máscaras cirúrgicas descartáveis superfaturadas. Vericou-se que uma das empresas operava em nome de “laranjas”, além de ser de “fachada”, e a outra nunca havia comercializado máscaras.”

Na manhã desta terça-feira (9), a Polícia Federal, com apoio da CGU, deflagrou a operação Cobiça Fatal, que teve como um dos alvos a Secretaria de Saúde de São Luís, comandada por Lula Fylho.

Na sede do órgão, foi cumprido mandado de busca e apreensão.

Durante a operação, também foram presas três pessoas acusadas de superfaturar em R$ 2,3 milhões a compra de máscaras cirúrgicas, que seriam utilizadas no combate ao novo coronavírus na capital.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários