Poder

Compra de máscaras custou R$ 3,1 milhões para gestão de Edivaldo Holanda Júnior

Em meados do mês de abril, a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria de Saúde, contratou a Precision Soluções Diagnósticos Ltda e a C.J Comércio Eireli, mais conhecida como Só Saúde Distribuidora, para fornecer máscaras cirúrgicas para os hospitais da capital maranhense.

Levantamento do Blog do Neto Ferreira apurou que as contratações foram no mesmo dia, 15 de abril, e tiveram o valor total de R$ 3,1 milhões, sendo R$ 2,6 milhões para a Precision e R$ 495 mil para a Só Saúde, de Ademar Cândido Almeida de Oliveira Sousa.

Ambos tiveram o aval de Lula Fylho, auxiliar do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

No momento das contratações, os supostos donos não apareceram e mandaram os representantes. João de Deus Souza Lima Junior pela Só Saúde e Sormane Silva Santana pela Precision Soluções.

O contrato celebrado com a Precision, de propriedade das sócias Terezinha de Jesus Neves Bottentuit e Lúcia Maria Chuairy Cunha, publicado no Blog, pois a mesma é uma empresa de fachada e não teria entregue os EPIs na data correta.

Na manhã desta terça-feira (9), a empresa foi um dos alvos da operação Cobiça Fatal, desencadeada pela Polícia Federal e Controladoria Geral da União- CGU.

As investigações apontam que foi formada uma organização criminosa para desviar recursos federais que seriam utilizados no combate ao novo coronavírus em São Luís.

A Polícia Federal informou que cada máscara comprada pela Prefeitura de São Luís custou R$ 9,90, sendo que o preço de mercado é de R$ 3,17. Em razão disso, houve um superfaturamento de R$ 2,3 milhões na aquisição.

Além disso, a Precision usou “laranjas” para ganhar o acordo contratual milionário.

Três pessoas foram presas durante a operação. A sede da Semus foi alvo de buscas.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários