Poder

Prefeita de São João do Sóter pode ter R$ 3 milhões bloqueados por licitação ilegal

Em Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa, a 1ª Promotoria de Justiça de Caxias solicitou, liminarmente, a indisponibilidade de bens, até o valor de R$ 3.050.562,24, dos 11 envolvidos em um procedimento licitatório ilegal para contratar serviços de limpeza pública em São João do Sóter.

O pedido foi feito pelo promotor de justiça Francisco de Assis da Silva Júnior, com base no Inquérito Civil nº 1164-254/2018.

Entre os requeridos estão a prefeita Joserlene Silva Araújo, a ex-prefeita Luiza Moura da Rocha, o ex-secretário municipal de Administração, Fazenda e Infraestrutura, Naêmio Fernandes, e a empresa Lima Silva Projetos e Avaliações Ltda – EPP.

Também são acionados o pregoeiro do município, Willyan Fortaleza Ferreira, e os integrantes da Comissão Permanente de Licitação (CPL) Bruno Leonardo Ferreira e Marcos Magno Ramos. A lista de requeridos inclui, ainda, os empresários Francisco Vaz Sampaio, Maria de Fátima Alves, Antônio Vitor Costa e Tamires Silva Sampaio.

Em abril de 2018, o MPMA iniciou apurações sobre irregularidades no Pregão Presencial nº 12/2017, iniciado por solicitação do ex-titular da Secretaria Municipal de Administração, Fazenda e Infraestrutura.

O pregoeiro do município endossou o projeto básico, e o edital foi publicado. O documento requeria a medição do peso dos resíduos coletados para fazer os pagamentos mensais. Apesar disso, os pagamentos eram realizados mediante atestados genéricos de serviços prestados.

Análise da Assessoria Técnica do MPMA (AT-MPMA) demonstrou irregularidades no procedimento licitatório.

O termo não incluiu, ainda, o argumento utilizado para estimar as quantidades mensais para coleta dos resíduos. O objetivo do pregão não foi especificado precisamente, como requer a legislação. Também não estavam presentes elementos que permitissem a avaliação dos custos.

No que se refere ao edital, houve descumprimento do prazo de publicação. Além disso, havia diversas cláusulas restritivas. Para o MPMA, o objetivo era afastar licitantes, já que as restrições não foram observadas na contratação da Lima Silva Projetos e Avaliações Ltda – EPP.

No dia da sessão, somente compareceram representantes da empresa contratada, apesar de outra empresa ter oferecido valores R$ 100 mil a menos.

Apesar da Lima Silva Projetos e Avaliações Ltda – EPP possuir somente dois funcionários, segundo informações do Ministério da Economia, a ex-prefeita assinou atestado de capacidade técnica em favor da empresa, afirmando que esta já havia prestado serviços ao Município. Entretanto, não foram apresentados a nota fiscal e o contrato anteriores.

Os serviços anteriormente prestados referiam-se à manutenção de iluminação pública.

Todos os indícios apontam para “montagem” do procedimento licitatório, inclusive com colocação de cláusula restritiva no edital, após o início das investigações.

Além da indisponibilidade dos bens, o MPMA requer que a empresa Lima Silva Projetos e Avaliações Ltda seja proibida de receber novas verbas do Poder Público. Solicita, ainda, a declaração de nulidade do pregão e do contrato firmado com a empresa.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

4 comentários em “Prefeita de São João do Sóter pode ter R$ 3 milhões bloqueados por licitação ilegal”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Anaildo

    A farra do dinheiro no país onde a justiça é uma piada.

  2. werbeth costa

    Meu Deus trabalhei em Sao joao so soter. E pelo visto todo prefeito que entra nessa cidade e so para desviar recursos. A cidade e uma pobreza so. La nao tem nada. A cidade era tao ruim que nem igreja tinha na cidade e qualquer cidade do mundo tem igreja. La nao tinha para ver como la e atrasado e mesmo assim os caras roubam.

  3. junior

    Igreja é para ficar com parte do dinheiro dos pobres, alguém já viu padre ou pastor com a mão calejada do trabalho pesado.

  4. Francisco Assunção.

    Werbeth Costa, quem é vc pra ficar falando mal de SJS, vc não conhece a nossa cidade e fica falando o que na sabe. Dizer que SJS, não tem nada, nem igreja tem? Vc trabalhou qdo no município sotense? Deve ter trabalhado qdo o município era um povoado e talvez de roça. Deixa de ter a cara de pau e cínica em dizer que o nosso município, não tem nada e que os prefeitos so entram pra roubar. Vc tem prova disso? Deixa de ser pilantra e vai procurar ao menos uma trouxa de roupa pra lavar seu imbecil. Respeita as pessoas e o nosso município pq e muito melhor. Idiota!

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários