Poder

Arcebispo Dom Belisário é vítima de hacker em São Luís

O arcebispo de São Luís, Dom Belisário, foi vítima de um hacker, que montou um esquema de golpe pela internet. Os estelionatários criaram um e-mail, usaram o nome do arcebispo como se fosse o autor, e enviaram para vários contatos de Dom Belisário, inclusive fora do país.

“Essas mensagens foram disparadas para muitas pessoas. Pelo que eu conheço, inclusive da Itália, Alemanha e Canadá” , afirmou o arcebispo.

No e-mail, os criminosos contam a história de uma criança que teria nascido com problemas de saúde e precisaria de doações. No final do e-mail, os golpistas pedem dinheiro e direcionam a doação para um outro e-mail que não pertence ao arcebispo.

Em nota, a arquidiocese de São Luís também fez um alerta para que ninguém baixe o arquivo que aparece no falso e-mail como forma de imagem. A nota informa ainda que nenhum e-mail é enviado pelo arcebispo de São Luís pedindo doações.

“Quando vierem essas campanhas, geralmente eu não faria uma campanha desse jeito”, contou Dom Belisário.

Segundo a polícia, os estelionatários se aproveitam também do período do ano – como a quaresma – para fazer o golpe parecer uma história verdadeira. Um passo importante é sempre registrar a ocorrência, e isso pode ser feito em qualquer delegacia, não só na delegacia especializada em crimes cibernéticos.

Outro golpe que tem feito muitas vítimas é o da clonagem do número usado em aplicativos de mensagens. Os golpistas clonam o número e pedem dinheiro para os contatos do telefone. Uma forma de evitar é ter a chamada verificação em duas etapas.

“Vá em configurações > conta > ativação em duas etapas. Você ativando isso, você se blinda de não ser hackeado e não ser clonado”, afirmou o delegado de combate a crimes cibernéticos, Odilardo Muniz.

Não clicar em links desconhecidos, não fornecer senhas e ter muito cuidado ao colocar dados em anúncios de venda também são algumas dicas passadas por especialistas em crimes cibernéticos.

“Se receber ligação pedindo um código e enviar via torpedo, desconfie. Nunca envie ou dê códigos que chegam para o usuário via torpedo. Você pode estar dando uma chave de acesso ao seu aplicativo, e-mail ou rede social”, completa o delegado Odilardo.

Do G1,MA


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários