Poder

Flávio Dino diz que morte de miliciano não é assunto para presidente da República

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), criticou o presidente da República, Jair Bolsonaro, pela sua postura em relação a morte do miliciano Adriano da Nóbrega, ex-capitão do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) do Rio ao sugerir que o PT estaria envolvido no caso. A declaração foi feita nas redes sociais de Dino.

Para o governador, o assunto deveria ser tratado pela polícia e não por Bolsonaro. “Morte de miliciano acusado de crimes não deveria ser assunto do presidente da República, e sim da Polícia. O presidente da República deveria ter outras prioridades: desemprego; crescimento da economia; preço do gás de cozinha; educação e saúde, entre outros.”

No sábado (15), Bolsonaro concedeu entrevista coletiva e, entre os assuntos questionados, estava o da morte do miliciano. “Quem é responsável pela morte do Capitão Adriano? PM da Bahia, do PT. Preciso falar mais alguma coisa?”, disse o presidente, reforçando que esse caso segue em investigação e que espera “que cheguem a um bom termo”.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários