Poder

Prefeita de Cururupu nega desvio de R$ 217 mil e diz que denúncia do MP foi “infeliz”

A prefeita de Cururupu, Rosária de Fátima Chaves, conhecida como professora Rosinha, prestou esclarecimentos sobre a denúncia do Ministério Público (saiba mais) e negou que tenha havido desvios de R$ 217 mil durante a sua gestão a frente da Secretaria de Educação.

Em nota enviada ao Blog do Neto Ferreira, Rosinha diz que a denúncia do Parquet é lamentável e a classifica como infeliz.

Em outro trecho do documento, a prefeita afirma que os fatos mencionados pelo Ministério Públicos são de 2009 e não condizem com a verdade, pois não houve qualquer tipo de desvio de recursos públicos enquanto esteve comandando a educação de Cururupu.

Leia a nota abaixo:

Nota de Esclarecimento

Prezado Jornalista, em respeito à população de Cururupu e aos seus leitores, considerando a publicação da matéria com o título “Prefeita e ex-prefeito de Cururupu são denunciados por desviar R$ 217 mil”, venho prestar os seguintes esclarecimentos:

1. Primeiramente é extremamente lamentável a publicação de matéria no site e Instagram institucionais do Ministério Público Estadual dando destaque a essa denúncia no inicio de ano eleitoral, quando esta remonta a fatos de 2009;

2. Em segundo porque nunca houve desvio de recursos na minha gestão à frente da Secretaria Municipal de Educação, que até hoje é reconhecida por ter elevado todos os índices de avaliação da educação, com destaque para a terceira colocação no IDEB em todo o Estado do Maranhão, com nota de 4.8, fatos estes que, inclusive me legitimaram a disputar e ganhar as eleições majoritárias em Cururupu;

3. A denúncia proposta pelo Ministério Público Estadual é infeliz ao tentar me imputar quaisquer tipos de responsabilidade, pois não as cometi. Até porque as irregularidades apontadas se referem a vícios em procedimento licitatório, cuja única participação da Secretária era apresentar e requerer a demanda, que efetivamente fora utilizada, mas que, principalmente quando da análise pelo Tribunal de Contas do Estado do Maranhão, considerou o procedimento regular;

4. Como o próprio Ministério Público informa, os fatos remontam a 2009 e se eu tivesse sido instada a me manifestar antes do protocolo da denúncia teria feito esses esclarecimentos, o que evitaria a proposição dessa ação que é extremamente desastrosa para a imagem dos denunciados, principalmente durante ano eleitoral no qual os adversários políticos fazem o uso indevido das informações;

5. Informo à população de Cururupu que estou tranquila com relação à denúncia, que apesar do seu importante papel institucional o Ministério Público também erra e, errou nesse caso;

6. Tenho plena convicção que após manifestação, o Poder Judiciário irá corrigir esse equívoco do Ministério Público Estadual e determinar a exclusão do meu nome do polo passivo da denúncia, pois é o justo, momento em que espero e cobrarei que o MPE também divulgue essa reparação. Digo isso por reconhecer a importância do Ministério Público em defesa da sociedade e da correta aplicação da Lei.

No mais, sigo firme no meu propósito de reconstruir junto com o povo a nossa querida Cururupu, trabalhando incansavelmente como tenho feito desde o primeiro dia de governo, em defesa da população que me outorgou essa honrosa tarefa de administrar nossa cidade, por entender que é dever do governante estar sempre a disposição da sua comunidade.

Professora Rosinha
Prefeita de Cururupu.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários