Poder

Ministro da Educação comete erro de português e escreve ‘imprecionante’

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, cometeu um novo erro de ortografia, nesta quarta-feira, ao escrever “imprecionante” em vez de “impressionante” em uma mensagem enviada pelo Twitter ao deputado federal Eduardo Bolsonaro (sem partido). O deslize se soma a outros dois cometidos em agosto do ano passado, quando escreveu “suspenção” e “paralização” (em vez de “suspensão” e “paralisação”) em um ofício enviado ao ministro da Economia, Paulo Guedes.

Depois de virar alvo de piadas e viralizar nas redes sociais, Weintraub apagou a postagem. Era uma resposta à declaração do filho do presidente de que o Brasil nunca havia feito uma pesquisa sobre o uso defensivo de armas de fogo por um órgão oficial. “Só existiu uso ofensivo para exatamente demonizá-las. Seria interessante apoiar um projeto assim, caso haja oportunidade”, escreveu Bolsonaro, em uma mensagem encaminhada a Weintraub e ao ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Na resposta, reproduzida por centenas de usuários, o ministro da educação escreveu: “Caro @BolsonaroSP, agradeço seu apoio. Mais imprecionante: Não havia a área de pesquisa em Segurança Pública. Agora, pesquisadores em mestrados, doutorados e pós-doutorados poderão receber bolsas para pesquisar temas, como o mencionado por ti, que geram redução de criminalidade.”

No ano passado, Weintraub assumiu a responsabilidade pelos erros ortográficos contidos no documento assinado por ele e enviado a Guedes, mas ponderou que não os havia escrito, e que apenas tinha “deixado passar”. “Erros acontecem”, justificou na ocasião. Desta vez, no entanto, o ministro ainda não se manifestou sobre o lapso recente.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Ministro da Educação comete erro de português e escreve ‘imprecionante’”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. cacador

    Tanta coisa importante para vc. colocar neste bloco NETO gastar tempo com uma merda desta.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários