Poder

Diretoria da UEMA de Coroatá esclarece demora na entrega de diplomas

A diretoria da UEMA – campus Coroatá, por meio de nota, negou que esteja protelando a entrega de diplomas a universitários e garantiu que a instituição está dentro das normas do Ministério da Educação.

Leia a nota abaixo:

“Informo que esta é a primeira turma de Enfermagem bacharelado no Campus Coroatá e que conforme normativa do INEP, apenas alunos concluintes realizam o Exame Nacional de Desempenho de Estudades, o último exame para avaliaçãi dos cursos de Enfermagem foi em 2016, quando a referida turma estava nos 4º e 5º períodos, o que não se enquadra na determinação do Ministério da Educação, que diz que os alunos participantes deverão ter concluído 75% ou mais da carga horária. O exame posterior a esse está previsto para 2019, onde todos os alunos concluintes já estão inscritos alunos ingressantes não realizam a prova do Enade, os mesmo são apenas informados para o Inep.

A visita ocorreu no dia 30/08/2016 sob nº de parecer 176/2016-CEE com o seguinte resultado: “A Comissão entende que a avaliação do curso de Enfermagem Bacharelado oferecido pela UEMA, no centro de estudos superiores de Coroatá foi realizada em caráter preliminar (provisório), considerando que os alunos da primeira turma do curso estão concluindo o 4º período. A comissão sugere que o curso seja reavaliado quando tiver integralizado pelo menos 85% da carga horária.

Projeto Pedagógico do curso foi aprovado pela resolução nº 1146/2015 – CEPE, de 07 de julho de 2014.

Entramos em contato com a empresa contratada para realização do baile de formatura informamos o atraso na colação de grau, solicitamos compreensão e a empresária disse que aguarda data posterior para o baile sem prejuízos e danos aos alunos.

Houve um reunião com todos os alunos concluientes do período 2019.1, registrado e ata no dia 19 de agosoto de 2019. Informando a respeito do processo e explicando que a demora é prevista.

A informação repassada aos alunos é que o processo está em andamento, todos colarão grau após a segunda visita, que está em processo de petião, apenas aguardando-a, para posterior colação.

O curso encontra-se autorizado pelo MEC, conforme consta nos dados de consulta do Ministério. A primeira visita in loco foi realizada como de praxe dentro do prazo esperado ea visita posterior foi determinada para quanda a turma tiver integralizando pelo menos 85% da carga horária total. Informamos que o processo de solicitação e recebimentos da visita in loco está em andamento e que os alunos não correm risco de ficar sem colar grau. “


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários