Poder

Abdon Murad é condenado a pagar dívida de R$ 326 mil em 3 dias

Réu em diversos processos na Justiça maranhense, o médico e empresário Abdon Murad Júnior foi condenado mais uma vez pelo juiz Auxiliar de Entrância Final, respondendo pela 9ª Vara Cível da Capital, Silvio Suzart dos Santos.

A decisão determina que Murad pague, em três dias, R$ 326.359,71 mil a Anne Karen Cantanhede Medeiros Brigido de Sá, investidora da Abdon Murad Júnior Participações e Empreendimentos Imbobiliários, de propriedade do médico. O despacho é do dia 17 de setembro desse ano.

Caso Abdon Murad não quite a dívida, os seus bens serão penhorados. O réu tem a opção de liquidar o débito de forma parcelado e, ainda, terá que arcar com honorários de advogado.

Acesse a decisão aqui

O empresário vem acumulando derrotas sucessivas na justiça estadual após se omitir em pagar os juros aos investidores da Abdon Murad Participações, que é tida como uma pirâmide financeira.

No dia 27 de agosto, o mesmo juiz proferiu um despacho condenando Murad Júnior a pagar R$ 248.600,00 mil a Isabel Alessandra Miranda Nunes em 3 dias (reveja aqui).

Em meados do mês de julho, o médico sofreu outra derrota e foi obrigado pelo juiz da 12ª Vara Civel de São Luís, Sebastião Joaquim Lima Bonfim, a quitar a dívida de R$ 253.866,00 mil ao advogado Sidney Cardoso Ramos (saiba mais aqui)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Abdon Murad é condenado a pagar dívida de R$ 326 mil em 3 dias”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Joao Filho

    Engraçado,
    essas pessoas quando investiram o dinheiro não sabiam que era um negócio de risco ?

    Se essa moda pega, os bancos então estão lascados. Por que se você investe 500 mil, o Fundo Garantidor é só de 250 mil por CPF.

    Se ABDON tiver um bom advogado, derruba tudinho no STF. Agora o que poderiam investigar é o montante que várias autoridades investiram com ele, inclusive aqueles ocupantes de cargos no governo que o salário e o patrimonio não justifica o valor do aporte.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários