Poder

Delegado da Inteligência vê indícios de ex-deputado em contrabando e morte de Décio Sá

Em oitiva na 1ª Vara Criminal de São Luís, delegado da Inteligência da Secretaria de Segurança Pública, Maymone Barros, revelou que o ex-deputado estadual Raimundo Cutrim (PCdoB) tem envolvimento na morte do jornalista Décio Sá, ocorrida em abril de 2012.

No vídeo obtido com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira, Barros declara ainda que há indícios de que Cutrim tem ligação direta com o contrabando de cargas. “Existe uma estrutura de uma organização criminosa aqui no Maranhão que estamos em fase de investigação, onde na época da morte de décio sá, nós não conseguimos alcançar essa pessoa porque ela tinha foro priveligiado, que é o ex-deputado Raimundo Cutrim, que foi a mesma pessoa que deu entrada na representação com o áudio la na Seic, que originou tudo que eu falei aqui ao senhor. Existe indícios também que na baía do Arraial o senhor deputado Raimundo Cutrim poderia ter um envolvimento, então existe a conexão”.

Em outro trecho do depoimento, o delegado foi questionado se tinha conhecimento de um relatório da Inteligência do Comando da Polícia Militar enviado ao secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, no qual mostra que os acertos com quadrilhas de assaltantes de bancos eram feitos por policiais militares sob a coordenação do PM identificado como Caruso.

Maymone Barros negou que tenha acesso a tal documento e afirmou que nunca teve conhecimento de tais informações. “Esse relatório da Inteligência da Polícia Militar fala dos investigados Everton Soares Oliveira, Arley Barbosa, Valdiney Ferreira, e ele trata da prisão de Bela Vista do Maranhão, da apreensão de armas de fogo em Imperatriz em junho de 2017, ele trata do homicídio de Alexandre Bandeira, ele trata do homicído de Fabinho, ele trata da relação de PM’s com quadrilhas e com o policial militar Caruso, era quem coordenava que fazia acertos em média de 200 mil por assalto com Adriano Brandão. O senhor nunca teve conhecimento desse relatório? – Não”.

O ex-deputado Raimundo Cutrim foi procurado pelo Blog, mas até o momento não retornou as ligações. O espaço está aberto para qualquer esclarecimento.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

5 comentários em “Delegado da Inteligência vê indícios de ex-deputado em contrabando e morte de Décio Sá”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Rodrigo silva

    Eita governo da espionagem.
    Caso grave porque estavam investigando pessoa com foro privilegiado sem pedir autorização do Tribunal de Justiça ou não quiseram investigar e incidiram em prevaricação.

  2. E agora, José!?

    Mas não teria sido o Cutrim que pediu investigação da morte de Décio, em face de acreditar que estava errada? Essa investigação deveria ser feita pela Polícia Federal. Não entendo a razão de o Estado não permitir que isso ocorra.

  3. Roberto

    Um delegado desse que ja foi pego em boca de fumo, não tem credibilidade nenhuma!

  4. Maria Gorete Rodrigues

    Que coisa estranha. A investigação foi feita pela equipe de delegados e inclui o delegado Maymone. E agora estão dizendo que existe envolvimento do ex-deputados Cutrim com o caso Decio Sá? Qual o envolvimento? Com quem se vincula? O pistoleiro Jonathan disse quem o contratou (Bolinha), quem mandou matar Décio Sá (Miranda e o filho Glaucio, agiotas), e o motivo da morte (para encobrir o rastro do crime do Fabinho, do Piauí). Afinal, o ex-deputado Cutrim entra onde na história? Contem outra. É pra esclarecer ou pra confundir? Quem está recebendo dinheiro do agiota, que está rico ou riquíssimo?

  5. Timóteo nobre

    Polícia federal urgente nas investigações.

    O sistema estadual de segurança pública no Maranhão está todo comprometido.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários