Poder

Promotoria pede afastamento e bloqueio de bens do presidente da Câmara de Barra do Corda

O Ministério Público do Maranhão, por meio 1ª Promotoria de Justiça em Barra do Corda, pediu o afastamento e o bloqueio de bens do presidente da Câmara de Barra do Corda, vereador Gil Lopes, por irregularidades em processos licitatórios.

Também figuram na denúncia os ex-presidentes da Comissão de Licitação da Câmara que atuaram entre 2013 e 2018, José de Ribamar Oliveira Asevedo, Gilciane Silva Lopes, Erlane Ribeiro Freita; Elecir Pereira Queiroz, e os empresários Djoci Sousa Macedo e Fabiano Dockhorn de Menezes, ambos donos das D.S.MACEDO-ME e F.D.MENESES.

De acordo com o site Minuto da Barra, autos narram que foi feita uma análise técnica em 6 processos licitatório firmados entre a Câmara de Vereadores e as empresas D.S. Macedo-ME e F.D. Meneses onde foram constatada inpumeras irregularidades.

Entre 2013 e 2018, a empresa D.S.MACEDO-ME venceu cinco licitações para locação de veículos para a Câmara Municipal de Barra do Corda. Já em 2014, a F.D. MENEZES venceu o certame para o mesmo tipo de serviço.

Segundo o promotor Guaracy Martins Figueiredo, houve direcionamento do Pregão Presencial, uma vez que a empresa F.D DE MENZES-ME de propriedade do empresário Fabiano Menezes, tem sua sede na cidade de Presidente Juscelino, distante 418 km de Barra do Corda “é de se estranhar pois pela simplicidade do objeto, devem existir nas redondezas outras empresas com atividade compatível para participar. O que leva a crer que se trata de cotação montada e licitação direcionada para a vencedora e terceira participante da pesquisa de preços”, disse.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários