Poder

José Joaquim pede ao STF, CNJ e PGJ para investigar denúncia contra Portela

O Tribunal de Justiça do Maranhão encaminhou ofícios endereçados ao Supremo Tribunal Federal, Conselho Nacional de Justiça e Procuradoria Geral de Justiça do Estado do Maranhão, pedindo providências sobre acusação do uso da Secretaria de Segurança Pública para monitorar desembargadores.

A informação foi confirmada pelo próprio Tribunal ao Blog do Neto Ferreira, que os pedidos foram feitos na segunda-feira (20), ao ministro Dias Toffoli, ministro Humberto Martins (Corregedor Nacional de Justiça) e Procurador-Geral de Justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho.

Desembargador José Joaquim, presidente da Corte maranhense, já havia se manifestado exigindo investigação rigorosa e imparcial (reveja) das denúncias do ex-delegado de Polícia Civil, Tiago Bardal, e do ex-chefe do Departamento de Combate ao Crime Organizado, delegado Ney Anderson, de que o secretário de Segurança Jefferson Portela deu ordem para uma equipe policial monitorar Guerreiro Júnior e interceptar de forma ilegal filhos e assessores de desembargadores.

Conforme publicado com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira, o delegado Ney Anderson revelou que Portela mandou grampear o filho do desembargador José Bernardo Rodrigues, inclusive, Marcelo Mota e Fernanda Guerreiro, ambos genro e filha do desembargador Guerreira Júnior (reveja). O secretário de Segurança foi entrevistado pelo Blog e negou todas acusações (reveja).


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários