Poder

Situação tributária de Prefeituras do MA é alvo de procedimento administrativos

O Ministério Público do Maranhão (MPMA) instaurou, no último dia 22 de fevereiro, procedimentos administrativos nos 217 municípios maranhenses para apurar a situação tributária de cada um deles.

Formulados pelas quatro Promotorias de Justiça Regionais de Defesa da Ordem Tributária, os procedimentos integram as estratégias do projeto institucional “Município Legal: + Receitas + Direitos”, lançado em 2019 pelo Centro de Apoio Operacional de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa.

Com a iniciativa, o MPMA objetiva analisar a correta implementação do sistema de arrecadação tributária pelos entes municipais e adotar as medidas necessárias para evitar a ocorrência de renúncia de receita lesiva aos cofres públicos.

Conforme prevê a Lei Complementar nº 101/2000, conhecida como a Lei de Responsabilidade Fiscal, em seu artigo 11, “Constituem requisitos essenciais da responsabilidade na gestão fiscal a instituição, previsão e efetiva arrecadação de todos os tributos da competência constitucional do ente da Federação”. O parágrafo único da referida lei complementa: “É vedada a realização de transferências voluntárias para o ente que não observe o disposto no caput, no que se refere aos impostos”.

Como providência que integra os procedimentos administrativos instaurados, serão encaminhados aos prefeitos e secretários municipais de finanças questionários com pedido de informações sobre a situação tributária dos municípios. Eles têm prazo de 10 dias para responder.

No próximo dia 26 de março, às 9h, em uma reunião na sede da Procuradoria Geral de Justiça, será feita a apresentação do projeto “Município Legal: + Receitas + Direitos” aos prefeitos e presidentes de Câmara Municipais. Todos os gestores dos 217 municípios maranhenses estão sendo convidados pelo MPMA.

PARECER TÉCNICO

O coordenador do Centro de Apoio de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa, Cláudio Rebêlo Correia Alencar, explicou como foi realizado o trabalho. “Para subsidiar os procedimentos administrativos, o Núcleo de Assessoria Técnica do Ministério Público do Maranhão produziu um parecer técnico sobre a arrecadação das receitas tributárias dos municípios maranhenses, com o objetivo de verificar o cumprimento das metas fiscais previstas nas leis orçamentárias e regulamentadas pela Lei de Responsabilidade Fiscal (nº 101/2000)”.

No estudo, foram analisadas as informações contidas nos portais da transparência dos municípios sobre a execução orçamentária e financeira das receitas e despesas no ano de 2017.

Os analistas do Núcleo de Assessoria Técnica observaram a listagem de receitas previstas e arrecadadas, a fim de estabelecerem o desempenho dos municípios na tarefa de arrecadar os tributos de suas competências. Em cada um desses tributos foi demonstrado se o ente municipal conseguiu ou não arrecadar as receitas próprias, conforme a previsão orçamentária.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

3 comentários em “Situação tributária de Prefeituras do MA é alvo de procedimento administrativos”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. RIBAMAR

    Verificando o entendimento para lançamento do imposto, alguns gestores conhecem a obrigatoriedade da cobrança e outros não sabem nem a destinação correta do imposto.
    Dizendo assim, os gestores de municípios ditos como pequenos não querem nem ouvir em falar em cobrar imposto na sua cidade. Tal como cobrar dos munícipes o IPTU. Eles entendem que a cobrança gera perda de votos. Diante dessa situação preferem ficar com pires não mão dependendo do governo ESTADUAL ou FEDERAL.

  2. Tuntum

    Eleições 2020, Tuntum- MA.

    (Chapa – 1)
    Prefeito – Fernando Pessoa
    Vice – Dr. Ricardo Costa

    (Chapa – 2)
    Prefeito – Maurício Seabra
    Vice – Ana Isabel

  3. RIBAMAR

    Verificando o entendimento para lançamento do imposto, alguns gestores conhecem a obrigatoriedade da cobrança e outros não sabem nem a destinação correta do imposto.
    Dizendo assim, os gestores de municípios ditos como pequenos não querem nem ouvir em falar em cobrar imposto na sua cidade. Tal como cobrar dos munícipes o IPTU. Eles entendem que a cobrança gera perda de votos. Diante dessa situação preferem ficar com pires na mão dependendo do governo ESTADUAL ou FEDERAL.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários