Poder

Sindeducação é denunciado por violar direitos trabalhistas em São Luís

O Sindicato dos Profissionais do Magistério do Ensino Público Municipal de São Luís (Sindeducação) foi denunciado ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) por violar direitos trabalhistas.

Segundo a denúncia protocolada no MTE, os funcionários que prestam serviços para o Sindicato estariam sendo obrigados a realizar atividades nas quais não foram contratados para executar, ou seja, desvio de função.

O documento obtido pelo Blog do Neto Ferreira mostra também que o orgão proibia os trabalhadores a registrarem as horas extras trabalhadas, e, além disso, não há fiscalização dessa jornada de trabalho.

De acordo com uma fonte fidedigna, os funcionários sofrem, ainda, pressão psicológica por parte da direção do Sindeducação.

Em contato com o Blog, o Sindeducação se pronunciou sobre o caso. Leia abaixo:

“O Sindicato dos Profissionais do Magistério da Rede Municipal de São Luís – SINDEDUCAÇÃO, esclarece que cumpre com todos os seus deveres trabalhistas junto aos seus colaboradores, e ao contrário que faz crer o texto, não “violou” qualquer direito, visto que não foi julgado por qualquer esfera, administrativa ou judicial.

O documento apresentado trata-se apenas de uma denúncia, anônima, de pessoas que buscam macular a imagem da entidade perante a categoria e a sociedade em geral. Os responsáveis por tal atitude serão acionados juridicamente, e responderão perante a Justiça por tais falácias.

Quando notificado, o Sindeducação apresentará todas as informações solicitadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Denunciar não quer dizer estar do lado da verdade. O Sindeducação reafirma seu compromisso com os educadores e a sociedade.”

A Diretoria.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

6 comentários em “Sindeducação é denunciado por violar direitos trabalhistas em São Luís”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Roberto Carlos

    Isso é coisa daquela loirinha fogoió…kkkkk si lacou si.

  2. Maria do Amparo Silva

    Conheço o Sindeducação e minha sobrinha trabalhou lá, saiu pq disse que os professores são muito exigentes e que alguns tratavam mal os funcionários. Mais em relação ao tratamento pela direção e pela presidente muito bom, , os pagamentos de salários são em dia , além das vantagens :plano de saúde ,ticket alimentação e vale transporte. Pagam tudo direitinho, hoje ela é arrependida de ter pedido para sair. Eu nao acredito nessas informações, pois sou filiada e sei que o nosso sindicato jamais faria isso. Acredito que seja jogo de interesses em macular a imagem da presidente, a Profa Elisabeth. E olha que ela nem sabe que minha sobrinha trabalhou lá. Espero que tudo seja esclarecido.

  3. Claudio Reis

    Isso tudo é verídico! Eu trabalhei lá por um ano sem carteira assinada, tendo que cumprir horário e durante toda a semana, e aos sábados quando necessário. Nunca tive registro de hora extra no ponto eletrônico. Para quem não sabe, ISSO É ILEGAL, visto que há um ponto eletrônico e o mesmo também deve ser utilizado TAMBÉM para computar hora extra. Outro fator importante, lá os jornalistas participavam até da faxina do sindicato, e em preparos de lanches e comidas pra eventos. Éramos obrigados a entrar 6h da manhã e impedidos de bater ponto. E outra, o Sindeducação é alvo de várias ações trabalhistas. Será que é perseguição? NÃO! São trabalhadores em busca de seus diretos. Quero ver se o sindicato vai fraudar o documento de ponto, pois hora extra não é computada no mesmo.E em breve, uma grande revelação do que de fato aconteceu na eleição vai explodir nesta capital.

  4. Darci

    Kkkkk Se falaram “loirinha fogoió” ja sei de quem se trata. E tomaraque elA
    a jogue no ventilador toda a merda que esse sindicato faz. São Luís precisa conhecer a rainha Elizabeth, e sua irmã Ana Maria, as duas fazem um massacre dos trabalhadores que prestam serviço no sindicato. Só quem já passou por lá, é que conhece. Ali, não é trabalho, é escravidão. Fala mais “loirinha fogoió” , eu sei que tem mais! Kkkkkkkkkkķkkkkkkkkkkkk

  5. Maria do Amparo Silva

    Eu sou professora filiada, minha sobrinha me disse que o Sr Claudio Reis era jornalista que trabalhava na epoca que ela estava lá, que vc pediu oportunidade de trabalho indicado por uma filha de professora jornalista (Esqueci o nome dela), porque vc não era formado e que vc que pediu para ser contrato , tendo em vista que vc não tinha concluído seu curso. E vc mesmo comentava com todos os funcionários do sindicato. E que vc foi bem remunerado por sua função, vc e sua esposa que também trabalha lá. Então não venha faltar com verdades seja sincero. E eu vou no sindicato me apresentar para a presidente e quero saber o que esta havendo , quem le o que vc escreve ate parece ser a mando. Segundo minha sobrinha a presidente sempre respeitou e valorizou o trabalho de todos os funcionários. Inclusive vc falava muito bem do sindicato. Vc também vai falar mal do sindhoteis, pq vc dizia aos funcionários que o sindhoteis era contrato e que pagava pouco demais. Olhe não vou aceitar como professora filiada ninguém falar do meu sindicato. Todos os funcionários que trabalhavam no Sindeducação conheço todos, assim como vcs me conhecem. Vcs só não sabem quem é minha sobrinha que trabalhou lá. Sei de muita coisa do sindicato, principalmente da responsabilidade , da exigência da presidente em proporcionar o melhor para nós professores. Sei de vários funcionários que entraram na justiça, querendo fortuna , mais perdeu pq o processo, pq a verdade sempre aparece. Como estou em sala de aula, na segunda vou aparecer no sindicato e perguntar a presidente o que está acontecendo. Pq eu não me deixo enganar, vou buscar esclarecimento dessas fofocas a respeito do MEU SINDICATO.

  6. João Bobo

    Quer dizer que esse Cláudio ainda era estagiário? Nem gente é.
    Casal trabalhando no mesmo lugar? Isso num da certo…ainda mais se essa outra aí é lora. Huahuahua ouw baixaria

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários