Poder

CGU aponta precariedade na merenda escolar de Imperatriz

A Controladoria-Geral da União (CGU) detectou que a Prefeitura de Imperatriz oferece merenda escolar precária aos alunos da rede municipal de ensino, segundo documento obtido pelo Blog do Neto Ferreira.

Os auditores da União realizaram uma fiscalização no período de 7 a 11 de agosto de 2017 em 19 escolas de 156 de Imperatriz, pois foram as que mais consumiram os produtos da merenda nos anos de 2016 e 2017.

Durante a inspeção, a CGU constatou que carnes bovinas e de frangos congelados que foram entregues às escolas são de procedência duvidosas, pois todas estavam em sacos plásticos sem o carimbo do SIF/Ministério da Agricultura, como determina a Lei.

Além disso, os fiscais apuraram que os alimentos oferecidos aos alunos são estocados juntos com móveis, livros, sacos de lixo, e com animais mortos e vivos.

A auditoria da Controladoria visava verificar a execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) pela Prefeitura de Imperatriz durante o período de janeiro de 2016 a abril de 2017, totalizando o montante de R$ 4.439.534,40 milhões.

Em nota, a Prefeitura de Imperatriz se pronunciou acerca do caso. Leia:

Os fatos ali narrados, quanto a aplicação dos recursos, se referem ao período que vai de janeiro de 2016 a abril de 2017 – portanto, da atual gestão, somente os 4 últimos meses, exatamente o período de reestruturação de tudo que foi encontrado.

Sobre os registros fotográficos, de agosto de 2017, irregularidades pontuais na acomodação e distribuição de merenda escolar da rede municipal, apontadas, foram esclarecidas à CGU ainda em outubro de 2017, de acordo com relatório do próprio órgão enviado à Prefeitura de Imperatriz, conforme Ordem de Serviço nº 20171328 – PNAE (0721523).

No mais, nossas unidades de ensino passam por inspeção regular e permanente. Não faltam merenda de qualidade e os cuidados necessários.”


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários