Poder

Presidente do TJ entrega relatório dos 100 dias de gestão a Presidente do STF

O presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos, esteve reunido nesta segunda-feira (16), com a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, ocasião em que entregou o relatório dos 100 dias de gestão à frente da Corte maranhense.

Ao entregar o relatório à ministra Cármen Lúcia, José Joaquim Figueiredo dos Anjos explicou à presidente do STF que no período de 100 dias de gestão deu ênfase a todas as ações institucionais que vêm merecendo prioridade no Poder Judiciário do Maranhão.

Na oportunidade, ele reafirmou a importância do diálogo institucional entre os tribunais brasileiros que, no seu entendimento, é muito positivo e importante para que as Cortes de Justiça possam caminhar unidas e interagindo com equilíbrio, como forma de fortalecer o Poder Judiciário.

A presidente do Supremo Tribunal de Justiça agradeceu a visita do presidente do TJMA e falou da satisfação em receber o relatório com as principais realizações de sua gestão na presidência da Corte de Justiça maranhense.

O relatório foi entregue também ao vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, e ao corregedor nacional de Justiça, Otávio de Noronha.

Com os dois ministros, José José Joaquim Figueiredo dos Anjos discutiu práticas inovadoras de gestão, trocou ideias e compartilhou experiências que, segundo o presidente do TJMA, permitem conhecer outras realidades e novos modelos de gestões estratégicas.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

2 comentários em “Presidente do TJ entrega relatório dos 100 dias de gestão a Presidente do STF”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Manoel Almeida

    Várias famílias residindo no Cidade Verde 2, em total escuridão a noite, simplesmente porque estão entregando as casas sem iluminação publica, de quem e a responsabilidade?

  2. Carolina

    O CERTO ERA UM JUÍZ EM CADA CIDADE PRA RESOLVER TODOS OS PROCESSOS PARADOS, 217 JUÍZ NAS CIDADES PRA TRABALHAR E NÃO DEIXAR PROCESSOS ACUMULADOS NOS ARMÁRIOS.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários