Poder

Em um ano, Domingos Dutra foi acionado cinco vezes pelo Ministério Público

Parlamentar de vários mandatos, o ex-petista e agora comunista Domingos Dutra notabilizou-se fazendo ferrenha oposição ao grupo Sarney, tendo apontado diariamente o dedo e fazendo denúncias contra Roseana Sarney (MDB) e outros gestores do mesmo grupo político que pelo Palácio dos Leões passaram.

No entanto, constata-se que as práticas nada republicanas que Dutra tanto condenava foram aplicadas por ele em Paço do Lumiar, município localizado na Grande Ilha de São Luís e que figura entre os dez mais populosos do Maranhão.

Eleito, em 2016, prefeito da cidade – graças, principalmente, ao sentimento de decepção nutrido pelos luminenses em relação aos gestores anteriores – Domingos Dutra, em apenas um ano de governo, foi alvo de cinco ações civis públicas movidas pelo Ministério Público Estadual.

São denúncias para todos os gostos e que relatam, segundo o MP, atos de improbidade praticados pelo comunista ao longo do ano passado.

Em uma ação, Dutra foi instado a realizar concurso público para o preenchimento de cargos efetivos na Procuradoria do município.

Em outra, foi denunciado por não promover a transparência necessária justamente no Portal da Transparência da prefeitura.

Na terceira, foi provocado no sentido de contratar, via concurso público, novos professores para rede municipal de ensino.

Na quarta, ganhou notoriedade devido ao fato de não garantir condições adequadas para alunos com necessidades especiais da rede de ensino da cidade.

Na última, ajuizada mês passado, está sendo obrigado a garantir a manutenção do Conselho Tutelar de Paço do Lumiar e do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), que funciona em péssimas condições, de acordo com inspeção realizada por técnicos ministeriais.

Em novembro, o prefeito se pronunciou acerca de uma das ações, a que trata sobre a falta de transparência.

Afirmou que estava aguardando citação por parte do juiz da Comarca de Paço do Lumiar e aproveitou para criticar o Ministério Público.

“Lamento o fato de que, antes de ser comunicado da ação ministerial pela juíza competente, tenho sido exposto na mídia por um release do Ministério Público, o que contribuiu para que oportunistas e adversários políticos aproveitassem para uma “condenação” antecipada, sem direito de defesa”, afirmou Domingos Dutra à época.

Do Blog do Gláucio Ericeira


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários