Crime / Poder

Vídeo: ex-padrasto nega assassinato de Alanna Ludmila

No momento da prisão, o ex-padrasto de Alanna Ludmila, Robert Serejo Oliveira, negou que teria assassinado a criança de 10 anos e a enterrado em uma cova rasa no quintal da casa onde a vítima morava.

Um policial militar chega a pedir que Serejo confesse o crime, mas ele continua negando.

O homem, apontado como principal suspeito da morte da criança, foi preso, neste sábado (4), no bairro da Estiva, em São Luís, tentando fugir em uma van. O motorista e os passageiros suspeitaram do criminoso e acionaram a Polícia Militar.

Robert Serejo estava desaparecido desde a quinta-feira (2), quando prestou depoimento na delegacia acerca do sumiço da ex-enteada. Ele foi liberado pela polícia pois não havia indícios do envolvimento dele no crime.

Entenda o caso

Alanna Ludmilla desapareceu na quarta-feira (1º), enquanto estava sozinha em casa durante o tempo em que a mãe dela tinha ido a uma entrevista de emprego. Uma mochila que pertencia a menina foi encontrada em um terreno baldio em um bairro vizinho.

A Polícia Civil estava analisando as imagens de câmeras de segurança próxima ao local, no qual o ex-padastro da criança, foi visto no momento em que a menina sumiu. O principal suspeito foi identificado como Robert Oliveira chegou a prestar depoimento na delegacia, mas depois não foi mais localizado.

O corpo da criança Alanna Ludimilla Borges Pereira (10 anos) foi encontrado por populares, na manhã desta sexta-feira (3), no quintal da própria residência no Maiobão, em Paço do Lumiar, Região Metropolitana de São Luís. O corpo estava em um cova rasa coberta por entulho de material de construção, como telhas.

Alanna Ludimila foi encontrada com saco na cabeça, com as mãos amarradas e com sinais de violência.

O delegado da Superintendência de Homicídios, Arthur Benazzi confirmou que a criança foi vítima de abuso sexual e morreu por asfixia. O laudo pericial deve sair em 10 dias.

Leia mais______________________________

Polícia prende ex-padrasto de Alanna Ludmila

Alanna Ludmila foi estuprada e morta por asfixia, diz polícia

Justiça decreta prisão do ex-padrasto de Alanna Ludmila

Corpo de criança de 10 anos é encontrado enterrado em quintal da casa onde morava


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários