Poder

Tia-avó de bebê denuncia ameaças sofridas por padrasto que agrediu criança

tia-avó de um bebê, que segundo a polícia foi agredido pelo padrasto, denunciou ameaças por parte da família do agressor em Imperatriz, a 626 km de São Luís. Ele foi preso, mas já está solto após audiência de custódia e responde em liberdade. As agressões ao bebê ocorreram na semana passada.

Valdelice Bezerra, que ficou com a guarda provisória da criança até que a Justiça decida com quem o bebê de nove meses vai morar, diz que está recebendo ameaças da família de Erisvan dos Santos Oliveira, padrasto do menino.
Segundo a Polícia Civil, ele teria dado um murro no rosto do bebê e exames também confirmaram outras lesões pelo corpo da criança.

Valdelice afirma que ela teve que voltar a delegacia para registrar ocorrência das ameaças que tem recebido da mãe do agressor, depois que passou a cuidar do bebê.

“Ela disse que eu tinha que tirar a queixa do filho dela porque o filho dela não era vagabundo, não era moleque porque ele não tinha agredido a criança. Ela disse que se não tirasse ela iria tomar as providências dela. Eu só quero dizer para os familiares que parem de me ligar porque eu não vou retirar a queixa do acontecido”.

Erisvan foi preso pelo crime de tortura, mas liberado na audiência de custódia para responder em liberdade. A mãe da criança também foi encaminhada a delegacia e logo liberada porque ainda é uma adolescente. Com essas novas ameaças, Erisvan pode ser preso outra vez.

O delegado que apura o caso, Eduardo Galvão, diz que será pedida a prisão preventiva de Erisvan dos Santos Oliveira com o intuito de preservar a integridade física da criança. “Até pelo fato de ser uma relação familiar, ser uma violência de gênero e a gente não descarta essa hipótese, mas no caso específico o que se pretende é obter o decreto da prisão preventiva dele que para a gente é mais importante é a certeza que ele não venha causar nada nem a ela nem a criança novamente”, finalizou.

G1 MA


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários