Poder

Auditoria aponta precariedade no Hospital Geral de Bacabal

O Departamento Nacional de Auditoria do SUS (DENASUS) constatou diversas irregularidades no hospital gerenciado pela Secretaria Municipal de Bacabal durante uma fiscalização realizada entre os dias 14 a 20 de dezembro de 2016.

Segundo o relatório obtido pelo Blog do Neto Ferreira, a equipe de auditores analisou dados referentes ao período de janeiro a dezembro de 2016, quando a administração de Bacabal era feita por José Alberto Oliveira Veloso.

No Hospital Geral de Bacabal foi detectado que o setor de internação da unidade estava precário. Entre as irregularidades encontradas estão a presença de infiltrações e fungos nas clínicas cirúrgica e médica masculina e feminina; não há climatização ou ventiladores em uma enfermaria de clínica cirúrgica masculina.

Além disso, os banheiros dos locais estavam com o revestimento danificados e sem ralo com fechamento escamoteável; não há lavatório específico para higienização das mãos, as cadeiras para acompanhantes em péssimo estado e os colchões com revestimentos deteriorados. Na unidade, também, não tem equipamento e material para reanimação cardio-respiratória no setor de internação.

“O Hospital Geral de Bacabal não possui Diretor Clínico, Alvará Sanitário, Comissão de Revisão de Prontuários, Comissão de Revisão de Óbitos, Comissão de Controle de Infecção Hospitalar – CCIH, Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e Núcleo de Segurança do Paciente.”, detalhou o relatório.

Assim como em outros setores, o de nutrição e dietética também apresentou problema. O Denasus apontou que no local a cozinha não é setorizada, não tem telas milimetradas para impedir o acesso de vetores e pragas urbanas, não tem ventilação, nem manutenção predial, as instalações elétricas são improvisadas, há infiltrações e os armários estão em péssimo estado. O almoxarifado de alimentos desorganizado e sujo com prateleiras oxidadas.

Na unidade hospitalar, foi constatado que o lixo é armazenado temporariamente até sua coleta, em abrigo externo que está dividido por categoria (resíduos químicos, comuns e perfuro-cortante); o hospital não dispõe de carro próprio para o transporte interno do lixo. Os resíduos são jogados diretamente no abrigo de resíduos sobre o piso, sem está acondicionado em sacos impermeáveis.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários