Poder

Medicamentos vão custar R$ 47 milhões no governo Flávio Dino

CasaAlugada

R$ 47.043.173,06 (quarenta e sete milhões quarenta e três mil cento e setenta e três reais e seis centavos). É o que a Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares – Emserh vai gastar com medicamentos via parenteral (frasco-ampola) grupo 2, necessários na assistência prestada pelas Unidades de Saúde do estado.

O contrato milionário foi dividido para várias empresas, de acordo com o Diário Oficial do Maranhão.

A Mundifarma Distribuidora de Produtos Farmacêuticos e Hospitalares, localizada em Juiz de Fora, Minas Gerais, e de propriedade de Pedro Ricardo de Melo e Lucinda Arruda de Melo, vai faturar com o acordo R$ 6.216.001,35 (seis milhão duzentos e dezesseis mil um real e trinta e cinco centavos).

Já a Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos, situada em Itapira, em São Paulo, deve lucrar cerca de R$ 7.819.727,80 (sete milhões oitocentos e dezenove mil setecentos e vinte e sete reais e oitenta centavos).

Pertencente à Rafael Vieira de Moura e Thiago Matos de Moura, a Distribuidora de Medicamentos Hospitalares e Oncológicos, de Fortaleza, Ceará, vai embolsar o montante de R$ 1.400.000,00 (um milhão e quatrocentos mil reais).

A Imperialmed Comércio de Produtos Hospitalares, de propriedade de Francisco José Santos Jacob e Fátima Regina Santos Jacob e localizada no Rio de Janeiro, vai lucrar R$ 899.760,96 (oitocentos e noventa e nove mil setecentos e sessenta reais e noventa e seis centavos) com o contrato.

De Anapólis, em Goiás, a NovaFarma Indústria Farmacêutica ganhou uma generosa fatia do acordo firmado com a Emserh, o valor gira em torno de R$ 5.091.806,07 (cinco milhões noventa e um mil oitocentos e seis reais e sete centavos).

Já a Costa Camargo Comércio de Produtos Hospitalares, localizada em Vila Velha, no Espírito Santo e de propriedade de Felippe David Mello Fontana e Ariana Mello Fontana, ficou apenas com a parte mais barata do contrato, R$ 192.899,00 (cento e noventa e dois mil oitocentos e noventa e nove reais)

E o valor mais alto que a Emserh vai vai pagar é R$ 16.344.979,20 (dezesseis milhões trezentos e quarenta e quatro mil novecentos e setenta e nove reais e vinte centavos). Que será destinado para a empresa Novartis Biociencias S/A, que fica em Tabão da Serra, em São Paulo.

A Comercial Valfarma, que fica em Fortaleza e é pertencente à Ricardo Lira Pimentel e Paula Francinete Macedo Marques Pimentel, ficou com o valor de R$ 3.914.124,71 (três milhões novecentos e catorze mil cento e vinte e quatro reais e setenta e um centavos).

Situada em Teresina, Piauí, a MedFarma Comércio de Medicamento, Luís Sebastião de Carvalho Júnior, vai faturar R$ 5.163.873,97 (cinco milhões cento e sessenta e três mil oitocentos e setenta e três reais e noventa e sete centavos) no governo do Maranhão.

Veja o contrato:

emserh4

emserh5

emserh6

emserh7

emserh8

emserh9

emserh10

emserh11

emserh12

emserh13

emserh14

emserh15

emserh16

emserh17

emserh18

emserh19

emserh21

emserh20


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Medicamentos vão custar R$ 47 milhões no governo Flávio Dino”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Joao da Elza

    Dizem que a maioria de fora do MA, estão sendo levadas pelo Dep Weverton. Parece que todos os acertos são feitos em Brasilia.
    Impressionante, que a maioria dos contratos hoje do MA, são de empresas de fora, e depois o BandiDino quer meter nos maranhenses aumentando a carga tributária.
    Os carros alugados são de MG, IPVA fica por lá, Medicamentos são empresas de fora, ICMS e ISS fica lá fora.
    Que governo burro, não dá um incentivo pras empresas locais.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários