Poder

Delegados da PF que foram mortos estavam em puteiro

pf

Dois delegados da Polícia Federal morreram, nesta quarta-feira (31), depois de um desentendimento com um comerciante em uma casa noturna, em Florianópolis, segundo informou a Polícia Civil de Santa Catarina.

As vítimas são Adriano Antônio Soares, 47, e Elias Escobar, 60. O delegado Ênio de Matos, responsável pela investigação, atribuiu o crime a “motivos banais”.

Segundo a polícia, os delegados da PF se desentenderam com outro cliente, Nilton Cesar Júnior, proprietário de um trailer de cachorro-quente, localizado a poucos metros da casa de prostituição, no bairro Estreito. Adriano era o chefe da delegacia da PF em Angra dos Reis, cidade do litoral fluminense, e atuou na investigação da morte do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki.

O ex-membro da Corte morreu em um acidente de avião, em janeiro, quando a aeronave caiu no mar em Angra. A PF do Rio que não há uma conexão entre os fatos. A assessoria da instituição informou que, após o registro da tragédia envolvendo Teori, o inquérito do caso foi transferido do Rio para Brasília, onde se encontra atualmente sob coordenação de um outro delegado –cujo nome não foi divulgado.

Em janeiro, Adriano chegou a dar entrevistas à imprensa no qual comentava diligências realizadas a fim de apurar as circunstâncias da morte do ministro do STF. Em nota, a PF lamentou a morte dos dois delegados e informou que eles haviam viajado a Florianópolis para participar de uma “capacitação interna”.

“O falecimento dos policiais decorreu de uma troca de tiros em um estabelecimento na capital catarinense”, divulgou a PF. Segundo apuração da reportagem, as vítimas teriam discutido com o dono da barraca de cachorro-quente, dando origem ao tiroteio. Na ação, o comerciante que baleou os policiais também foi atingido por disparos. Nilton fez uma cirurgia na manhã de hoje e está internado em estado grave no Hospital Florianópolis. Um investigador, que preferiu não se identificar, disse que os delegados foram alvejados com um pistola 380 a curta distância.

O IGP (Instituto Geral de Perícias) de Santa Catarina, que participa do caso, informou que os dois delegados morreram no local do crime. Escobar levou três tiros, sendo dois no crânio e um no tórax; já Soares foi atingido por um disparo no tórax. A PF obteve a liberação dos corpos, que serão levados para o Estado do Rio de Janeiro ainda nesta quarta (31).

Na delegacia de Angra dos Reis, o clima é de consternação. Um treinamento de tiro foi cancelado porque, de acordo com um policial que trabalha no local, “ninguém estava com cabeça para isso”. Mas o atendimento ao público segue normalmente. O agente afirmou que Adriano deixa mulher e filhos. Ele morava em Niterói, região metropolitana do Rio.

Do UOL


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Delegados da PF que foram mortos estavam em puteiro”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Paulo

    Dá para levar a sério essa turma? Estavam fazendo um curso de capacitação e foram parar em um puteiro de quinta categoria frequentado por um dono de carrocinha de cachorro quente que era rápido no gatilho…

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários