Poder

Dedé Macedo quase vai preso por ajudar Flávio Dino e hoje é desprestigiado no governo

IMG-20170510-WA0083

Helicóptero de Dedé Macedo usado por Flávio Dino nas eleições de 2010.

Desleal. Essa é a palavra que define bem o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

Para se eleger como chefe do Executivo estadual, o comunista firmou diversos compromissos de campanha com vários empresários e políticos com a promessa de que todos teriam espaço durante a gestão. Contudo, não é o que vem acontecendo.

Um exemplo bem nítido das falsas promessas feitas por Dino é o caso da família Macedo. Durante as campanhas eleitorais de 2010 e 2014, o empresário e pecuarista Dedé Macedo e os seus filhos Fábio e Hernando Macedo deram total apoio financeiro e político do qual o comunista precisava e pedia. Em contrapartida, o comunista garantiu ao empresário que daria “espaço” na gestão estadual.

IMG-20170511-WA0024

Flávio Dino e a família Macedo

Compromisso firmado. E os ataques começaram.

Em razão do apoio a Flávio Dino, Dedé Macedo foi alvo de inúmeros ataques vil e rasteiros. Chegou a ser achincalhado e massacrado pela imprensa local, na campanha de Edinho Lobão, tendo, assim, a sua imagem completamente desmoralizada, pois foi acusado de agiotagem, entre outras acusações. Quem pesquisar no Google o nome “Dedé Macedo” só encontra as piores coisas, após ter entrado na campanha comunista para contribuir.

O ponto alto da tentativa de desmoralização e demonização foi a quase prisão do pecuarista orquestrada pelo governo Roseana Sarney, por meio do antigo secretário de Segurança Pública.

Apesar de tudo isso, Dedé continuou firme no projeto de Flávio Dino. Emprestou helicópteros, tanto em 2010 (conforme a imagem acima) quanto em 2014, doou dinheiro e fez articulações políticas.

Governador eleito. E os Macedos caíram no esquecimento.

E o comunista se consagra como uma pessoa desleal, afinal as falsas promessas não foram ditas apenas à família Macedo, mas também ao deputado federal José Reinaldo Tavares, que sempre acreditou em Dino desde quando foi candidato a Câmara Federal, em 2006.

No dia do pré-lançamento da candidatura de Tavares ao Senado, Dino não apareceu e mandou como representante o secretário de Comunicação, Márcio Jerry. Quanto desprestígio!

As eleições de 2018 estão se aproximando e o governador já está se articulando em busca de apoio. Na última semana, o comunista se reuniu com o deputado estadual Josimar de Maranhãozinho (PR), que garantiu o apoio a Dino em 2018. Portanto, fica a dúvida no ar: se o comunista não está honrando com a família Macedo imagina com Josimar do PR? O mais provável que não.

Flávio Dino conseguiu o que sempre quis: o Governo do Estado. E tem se revelado uma pessoa completamente desleal a quem lhe ajudou como – por exemplo -, Dedé Macedo.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Dedé Macedo quase vai preso por ajudar Flávio Dino e hoje é desprestigiado no governo”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Sertão

    Esse governador tem demostrado que não tá nem aí pra ninguém, só se importa com seu melhor amigo Marcio Jerry que faz de tudo pra se dar bem no governo as custas dos contratos fáceis e qualidade péssima, pois se observamos bem Flavio Dino nunca fez uma grande obra, só faz remendo e mal feito, nunca construiu um IEMA todos que funcionam mal estão em
    Prédios que já existíam, compra ambulância do dinheiro das emendas e faz um alarde pra entregar assim como faz com sementes e vacinas que recebe do governo federal. Esse governo é aparência

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários