Poder

Ricardo Murad foi grampeado pela Polícia Federal tentando incriminar Flávio Dino

dinoxmurad-1

Sabendo que estava sendo gravado pela Polícia Federal, o ex-secretário da Saúde, Ricardo Murad, tentou incriminar o governador do Maranhão, Flávio Dino, falando abertamente que o gestor estadual estaria contratando empresas para atuar na Saúde com a intenção de pagar as dívidas angariadas durante a campanha eleitoral de 2014.

O documento foi obtido com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira e mostra o diálogo se deu no dia 12 de março de 2015 entre o empresário e sobrinho de Murad, Rômulo Trovão, e o próprio ex-gestor da Saúde, após uma reunião que aconteceu entre o diretor da empresa Litucera Limpeza e Engenharia, Edson Gabriel da Silva, e Trovão.

De acordo com o documento, o referido encontro foi para que Edson comunicasse ao sobrinho de Ricardo Murad que o então secretário da Saúde, Marcos Pacheco, ia suspender a prestação de serviços da Litucera.

“Rômulo diz que Edson se reuniu com Marcos Pacheco (Secretário de Saúde do Estado) e disse que vai parar a prestação de serviços. Ricardo diz que é melhor eles conversarem isso pessoalmente.”
, destacou a Polícia Federal.

No mesmo trecho da observação da PF, Murad afirma que as empresas que irão entrar na saúde são para pagar dívidas de campanha 2014 de Flávio Dino.

“Ricardo diz que as empresas que vão entrar na saúde são para pagar dívidas de campanha de Flávio Dino.”, frisou o documento da PF. Leia a conversa abaixo.

Ricardo Murad e o seu sobrinho Rômulo Trovão são acusados de integrar uma organização criminosa que atuava no âmbito da Secretaria de Saúde do Maranhão e que desviou milhões dos cofres públicos. Ambos foram alvos da operação Sermão aos Peixes, deflagrada em novembro do ano passado.

operacao24


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários