Poder

Justiça quebra sigilo bancário de Eduardo Braide, investigado pela Polícia Federal

A pedido da Procuradoria Regional da República da 1ª Região (PRR 1ª), o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) autorizou a quebra do sigilo bancário do deputado estadual e candidato derrotado nas eleições de São Luís, Eduardo Braide (PMN).

A informação sobre o procedimento foi confirmada à reportagem pelo procurador regional Ronaldo Meira de Vasconcelos Albo, que em parceria com a Polícia Federal, investiga o deputado e empresas envolvidas na Máfia de Anajatuba (reveja) e (releia)

A decisão já foi comunicada ao Banco Central do Brasil, que repassará a informação à todas as agências bancárias do país.

O pedido foi motivado com base no relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras – COAF, que foi encaminhado à Procuradoria Regional da República. O COAF detectou que Braide teve movimentações financeiras atípicas.

Braide é investigado pela Superintendência da Polícia Federal do Maranhão no inquérito de número 0058214-57.2016.4.01.0000, instaurado para apurar apropriação indevida de recursos públicos e vultosas movimentações.

A Polícia Federal conseguiu no dia 5 de outubro uma nova autorização de mais 90 dias para prosseguir as investigações sigilosas sobre o parlamentar do PMN. Ao concluir o inquérito, o delegado responsável encaminhará para Procuradoria Regional da República, que no final pode ou não denunciar Eduardo Braide.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Justiça quebra sigilo bancário de Eduardo Braide, investigado pela Polícia Federal”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. João

    Hoje em uma passeata do PeTê vi um cara petista ali perto da flora do parque — DE BARBINHA PRETA, óculos de TARJA PRETA. Voz EFEMINADA, — com o pé na parede da loja, tomando uma garrafinha de ÁGUA PERRIER (aquela água mineral francesa da garrafinha verde). É a chamada ESQUERDA CAVIAR. De que faz parte o Taquara Rachada (Chico Buarque).

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários