Poder

CGU aponta que Governo Flávio Dino prejudicou o combate ao Aedes aegypti

Dado foi constatado pela Controladoria-Geral da União.

Os fiscais da Controladoria-Geral da União (CGU), durante reuniões realizadas com gestores, supervisores e Agentes de Combate às Endemias nas sedes das regionais de saúde de Barra do Corda, Presidente Dutra, Itapecuru Mirim e Rosário constataram vários entraves relacionados à eficácia das ações de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Os trabalhos in loco foram realizados entre os dias 16 de março e 20 de abril deste ano. À época, a Secretaria de Saúde era comandada por Macos Pacheco.

O documento apontou o comprometimento das ações de combate ao mosquito por falta de pessoal e especificidades locais. Na regional de Barra do Corda, a epidemia de dengue nos meses de agosto e setembro de 2015 e janeiro e fevereiro de 2016 foram provocadas por: carência de pessoal para aplicação da larvicida; carência no fornecimento de água potável, com o consequente armazenamento de água em depósitos sem tampa, que servem de criadouro para as larvas do mosquito.

Na regional de Presidente Dutra, foi constatada relação conflitiva entre os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACEs), no tocante à implementação das ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti; conflito também entre o planejamento Regional e Municipal. Na regional de Itapecuru Mirim, a maioria dos municípios estava com dificuldade para acompanhar as Web conferências, devido à qualidade ruim do acesso à internet. Somente os municípios de Itapecuru-Mirim e Vargem Grande possuem um acesso razoável.

Ainda conforme a auditoria, na regional de Rosário, houve insuficiência do inseticida Malation, em 2016. Com relação ao inseticida Piriproxifeno, o produto não estava atuando adequadamente; a substância não estava matando as larvas. A falta de carros fumacê; a geografia da região, que dificultou o acesso dos agentes a muitas comunidades; e a dificuldade na realização dos exames laboratoriais em razão da centralização dos procedimentos em São Luis foram alguns dos entraves enfrentados.

1


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários