Poder / Política

Flávio Dino diz a Gilmar Mendes que todos desembargadores do MA ganham mais de R$ 55 mil

28cbbcf3-70f1-42f0-97ba-d59624fb1983

“O governador do Maranhão, Flávio Dino, me disse que não há nenhum desembargador ganhando menos do que R$ 55 mil no Estado. O teto nacional é de R$ 33 mil.”, revelou o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. Essa declaração foi dada à colunista da Folha de São Paulo, Mônica Bergamo.

Na entrevista concedida, o ministro Gilmar Mendes fala sobre a operação Lava Jato e sobre os privilégios dos magistrados por todo o país. “O Judiciário brasileiro é um macrocéfalo com pernas de pau. É o mais caro do mundo. E muito mal estruturado. Há uma distorção completa.”, comentou Mendes.

O presidente do TSE disse, ainda, que juízes e procuradores que atacam a proposta de lei que pune abuso de autoridades “imaginam que devam ter licença para cometer abusos”. Para ele, o combate à corrupção e a Operação Lava Jato estão sendo usados “oportunisticamente” para a defesa de privilégios do Judiciário, do Ministério Público e de outras corporações.

Veja a entrevista completa aqui


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Flávio Dino diz a Gilmar Mendes que todos desembargadores do MA ganham mais de R$ 55 mil”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Zé Leite

    Acertou na mosca ministro Gilmar Mendes, parabéns: o Judiciário e o Ministério Público brasileiro são uns sanguessugas do dinheiro do contribuinte. Na esteira deles ainda vem membros das Cortes de Contas, Defensores Públicos e até delegados de polícia também já queriam participar dessa farra do dinheiro público.

    Nos Estados Unidos um juiz ganha menos que esses emplumados senhores. Todo esse privilégio deve ser extirpado. Ainda tem um absurdo de uma tal de vitaliciedade que esses privilegiados funcionários públicos são presenteados, por uma zona de conforto muito poderosa. Nos EUA, por exemplo, o mandato de um juiz é de cinco anos. E ele é submetido ao escrutínio popular (voto), como avaliação para novo mandato. Por aqui, infelizmente, esses empregos são pro resto da vida. As famílias desses sanguessugas fazem é dinastia, as vezes , nos tribunais brasileiros.

    Se o Brasil não se cuidar imediatamente dessas excrescências, estaremos todos fadados a trabalhar pra sustentar os privilégios desses cidadãos. A “Queda da Bastilha” dessa casta de privilegiados tem que acontecer já.

    A Constituição de 88, elaborada de forma açodada e casuística, infelizmente, trouxe muitos privilégios a diversas classes de privilegiados no Brasil. O momento é este pra se corrigir tais distorções.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários