Poder

Notas da manhã

Diálogo

Um caso bastante engraçado foi divulgado em grupos de WhatsApp. Uma foto onde aparece um panfleto de um candidato, que não se sabe quem é duas pessoas comentaram. A primeira mulher pediu gasolina para ir a caminhada e a segunda retrucou.

– “Vão dar a gasolina?”

– “Meu amor, só e for para botar na b…porque pelo o que eu entendo caminhada é a pé!”

IMG-20160822-WA0083 (1)

Denúncia

­1469531398-886167245

O povo Ka’apor denunciou, por meio de nota, novas invasões de madeireiros na Terra Indígena Alto Turiaçu, Maranhão. Há uma semana, os indígenas teriam pedido para que madeireiros localizados pela Guarda Florestal Ka’apor, às margens do Rio Hola, saíssem da terra tradicional. Os invasores, porém, não teriam atendido os Ka’apor. “Estamos acampados na beira do Rio Hola, dentro do nosso território. Tem ainda seis caminhões madeireiros e um trator na mata. Não vamos sair de nosso acampamento. O Ibama e Polícia Federal tem que ir lá tirar e prender esses agressores”, diz trecho da publicação divulgada pelo Conselho de Gestão Ka’apor.

Os indígenas informaram que esta será a oitava Área de Proteção Ka’apor criada para manter a terra indígena a salvo. De acordo com o povo Ka’apor, são cerca de 120 indígenas que diariamente buscam ramais (estradas de terras), madeireiros, focos de incêndio e demais invasões. “Funai diz que essa fiscalização promove violência contra a gente, mas não faz nada para evitar invasões. Então a gente faz porque essa terra é nossa. Somos as vítimas e não os culpados pela destruição da nossa floresta. Queremos dizer isso pra todo mundo”, afirma uma liderança Ka’apor. A jovem Iraúna Ka’apor, de 14 anos, sequestrada por madeireiros em abril deste ano da aldeia Axiguirendá, segue desaparecida.

 

Decisão

A Justiça Federal determinou que a Polícia Federal (PF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) atuem de maneira permanente na Terra Indígena Awá-Guajá, localizada nos municípios maranhenses de Zé Doca, Centro do Guilherme e Centro Novo do Maranhão, para evitar possível invasão por não índios. Conforme denunciado pelo Departamento de Polícia Federal, a tentativa de reocupação estaria sendo organizada por pessoas com atividade político-partidária naquela região.

No pedido, o MPF/MA solicitou providências urgentes para evitar uma possível tentativa de reocupação da área protegida pelas mesmas pessoas alcançadas em decisão judicial anterior, conforme alertado pela Fundação Nacional do Índio (Funai). De acordo com o procurador da República Alexandre Silva Soares, que formulou o pedido, os movimentos de reocupação do território dificilmente serão dissipados por outros meios que não os da força policial, “dado o caráter político, que, segundo a Funai, é característico das ações de invasão”.

Apoio

????????????????????????????????????

A noite do último sábado, 20, ficou marcada como uma noite de esperança em São José de Ribamar. Milhares se reuniram no primeiro comício em apoio ao candidato a prefeito da cidade, Luis Fernando Silva (PSDB), e ao seu vice, Eudes Sampaio (PTB). O ato cívico da coligação “Aliança Democrática Ribamararense” aconteceu em frente à famosa Praça do Cruzeiro, na Avenida Gonçalves Dias.

Tanto nos discursos de dezenas de candidatos ao Legislativo Municipal, que disputam as eleições nas quatro coligações que apoiam Luis Fernando, quanto na vibração do público em prol da reconstrução da cidade e no forte discurso do candidato, ficou provado que a população deseja ansiosamente por um novo momento administrativo e político.

Biometria

Quinhentos e noventa eleitores (590) do colégio Dr. Magno Bacelar de Urbano Santos compareceram na manhã deste sábado, 20 de agosto, para participarem de votação biométrica simulada promovida pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão. O número equivale a 26% do eleitorado apto a votar no local nas eleições 2016.

A ação teve como objetivo testar o sistema biométrico – que será utilizado pela primeira vez em Urbano Santos e mais 28 cidades (Matões, Maracaçumé, Junco do Maranhão, Belágua, Paulo Ramos, São Bento, Fortaleza dos Nogueiras, Pindaré-Mirim, Tufilândia, Caxias, Açailândia, Santa Inês, Imperatriz, Balsas, Bacabal, Bacurituba, Codó, Coroatá, Esperantinópolis, Poção de Pedras, Feira Nova do Maranhão, Matinha, Monção, Nova Colinas, Peritoró, Riachão, Timon e Viana) – e proporcionar ao eleitor a oportunidade de conhecer, na prática, como o novo processo funciona.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários