Poder

Escritório de advocacia de São Luís fatura contrato de R$ 6 milhões em Codó

Parceria foi firmada com OLB Advogados.

Inúmeros contratos milionários já foram firmados na gestão do prefeito de Codó, Ziti Rolim. Mas nem um se equipara ao mais recente, com a OLB Advogados, de São Luís, celebrado no dia 2 de junho deste ano.

Pelos serviços advocatícios, no período de seis meses, a Prefeitura pretende pagar a quantia descabida de R$ 6 milhões. Isso mesmo, seis milhões.

Conforme o extrato do contrato publicado no Diário Oficial do Maranhão, essa fortuna deve abastecer o escritório de advocacia, especializado na área do direito tributário.

O contrato de cifras milionárias deve vigorar entre 2 de junho a 30 de dezembro deste ano. Quem assinou o documento pela Prefeitura foi  o Secretário Municipal de Finança, Ataliba Lima Santana.

codó

a


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

2 comentários em “Escritório de advocacia de São Luís fatura contrato de R$ 6 milhões em Codó”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. júnior

    Te parabenizo Neto por pesquisar e publicar para conhecimento geral esses contratos de órgãos públicos, é vergonhoso e descabido uma prefeitura do interior de um Estado pobre como o Maranhão pagar mais de R$ 850.000,00 por mês para um advogado, merece investigação do MPF, MPE e PF.

  2. Kleber

    Eu gostaria que os advogados autores do pedido de suspensão do concurso para provimento no carro de advogado público na prefeitura de Codó providenciassem urgentemente pedido idêntico para cancelar o contrato com o escritório de advocacia OLB advogados.
    Opino fundamentar o pedido em.dois pilares : 1. Falta de obediência à lei de licitações. 8666/90;
    2. Falta de transparência na contratação.
    Observo que o prazo final do contrato coincide com o fim do mandato do atual prefeito.
    O escritório dos nobres colegas,acredito, dava deter a inconteste capacidade técnica para cobrar aquele valor do contrato. Mas, acredito que a forma de contratação não foi adequada.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários