Poder

“Em São Luís, o aluno sai às 8h e sai às 10h porque não tem merenda escolar”, diz Câmara

Fábio

“Em São Luís, o aluno sai às 8h e sai às 10h porque não tem merenda escolar”, criticou Fábio Câmara (PMDB) ao falar sobre a gestão da educação em São Luís. Câmara foi o quinto entrevistado da sabatina do jornal O Estado do Maranhão, realizada na manhã desta sexta-feira (12).

O candidato do PMDB ressaltou que é necessário planejar São Luís e fazer um projeto político-pedagógico. “Greves na educação é não falta de orçamento, mas sim de gestão. Escola de tempo integral é bonito de falar. Serviu para muitas campanhas”, afirmou.

Câmara comentou também sobre o PMDB e sua situação dentro da legenda.

“Jamais! Não levo mágoas”, negou Fábio Câmara ao ser questionado se guardava algum rancor dos membros do PMDB que lutaram para que ele não saísse como candidato a prefeito de São Luís.

Durante a entrevista, o candidato peemmedebista falou também sobre a oposição dentro da sua própria legenda. “Houve divergências internas, mas faz parte do processo” E sobre pesquisas, ele disse que no momento da campanha as digitais do partido que agora está unido serão mostradas e o eleitor saberá perceber o trabalho já desenvolvido pelo PMDB em São Luís.

“Não temos qualquer tipo de mágoa. O partido está pacificado. Vamos buscar com os grandes nomes do PMDB apoio para administrar São Luís. São pessoas que têm experiência e já fizeram muito pela capital”, afirmou Câmara.

O peemmedebista criticou o governo do Maranhão sobre o atendimento a pessoas queimadas e citou o exemplo o caso de Pirapemas, no qual morreram 4 pessoas.

Na sabatina, o vereador de São Luís expôs vários projetos que deseja implantar, caso seja eleito prefeito da capital maranhense. Ele falou sobre segurança, cultura, tecnologia e mobilidade urbana.

Fábio Câmara garantiu que irá criar uma Secretaria de Segurança no município, e por sua vez tornar a guarda municipal em uma espécie de polícia municipal. ” É necessário qualificar os guardas municipais para combater crimes como incêndio a ônibus. São Luís precisa fazer o dever de casa. Não vamos fazer projetos messiânicos e sim trabalhar com o que tem”, frisou o candidato do PMDB.

O vereador disse também que sabe do orçamento da Prefeitura e sabe da realidade na qual a cidade vive. “Iremos buscar parcerias com o governo federal e do estado, que fará convênios com a UFMA a fim de desenvolver os seus projetos.

Ao ser questionado sobre o desenvolvimento da cultura em São Luís, Câmara foi categórico: “Cultura é saúde também, tem que ser tratado com prioridade. Precisamos democratizar a Cultura. O poder público deve levar a população os conhecimentos sobre o folclore maranhense”.

E sobre a mobilidade urbana, o peemmedebista afirmou que após a licitação do transporte público ainda não viu melhora alguma e que a prioridade em seu governo será o transporte de massa. E sobre o VLT, ele falou, ainda, que confia no prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, quando este fala que tem um projeto sobre o VLT no Ministério das Cidades. “Para implantar o VLT, BRT precisa de investimentos e são caros e por isso buscarei parcerias”, pontuou.

Câmara também falou sobre política para os negros e para o público LGBT. “O Estado é laico. Seremos prefeito de todos. Não de um segmento”.

E ao ser perguntado sobre a reeleição para vereador. De acordo com ele, as transformações sociais somente chegam com esforço e com ousadia.”Eu não corro nenhum risco. Coloco meu nome para a avaliação do eleitor. Se não der certo, volto a minha vida como antes levada”, ressaltou Fábio Câmara.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

4 comentários em ““Em São Luís, o aluno sai às 8h e sai às 10h porque não tem merenda escolar”, diz Câmara”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. RENATO

    Sem querer defender mas já defendendo. A permanência da merenda nas escolas, depende do bem coletivo. Vou explicar melhor. Quando eu era criança, na escola em que estudava, quando chegava o garregamento de merenda, a diretora primeiro dividia e separava o melhor para ela, professores (não todos), amigos, parentes e afins, feito isso, o que sobrava iria para a merenda dos alunos. Isso lá nos anos 90, e sei que isso acontece nos dias de hoje. Por isso que digo, não é culpa da prefeitura, talves a falta de uma fscalização, sei lá, mas principalmente, falta o bem coletivo, falta o pensar no outro, falta o bom caráter, falta o se preocupar com o outro, é isso que falta. Fico impressionado como um profissional tem a coragem de tirar proveito de algo que seria para o beneficio de crianças.

  2. Leandro

    O vereador Fabio Camara veio com muitas historinhas lindas sobre Sao luis, mas ele nao faz metade do que falou. Alem de nao ter chance alguma visto que o seu proprio partido nao esta tao confiante em sua candidatura.

  3. Larissa Viegas

    Fábio Câmara mostrou realmente o quanto ele vive em um mundo “ilusório”. Como fazer tudo que ele falou em apenas 4 anos? De dar até dá, mas com muiiiita mágia e fadas e tudo mais…

  4. fernando

    Rapaz, essa noticia não condiz com a realidade. Sabemos bem que as escolas estão com um projeto ha muito tempo de merenda escolar. e por sinal de qualidade. Essa cara está muito desinformado.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários