Poder

Sob influência de Waldir Maranhão, estado recebeu R$ 6,1 milhões em repasses

Do Estadão de São Paulo

Waldir Maranhão.

Waldir Maranhão.

No primeiro ano em que a legislação eleitoral instituiu um teto de gastos para as campanhas, o presidente em exercício Michel Temer abasteceu o caixa das prefeituras com cerca de R$ 2 bilhões em convênios liberados em pouco menos de dois meses. Levantamento do jornal O Estado de S. Paulo, com base em dados da Controladoria-­Geral da União, mostra que os valores foram transferidos a 2.448 municípios e se destinaram a 5.213 obras. O Maranhão recebeu R$ 6,1 milhões de repasses da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

Alguns ministros aproveitaram a liberação para fazer agrados às bases políticas. Pastas como Transportes, Esporte, Desenvolvimento Social Agrário e Ciência e Tecnologia concentraram repasses nos Estados dos respectivos titulares.

O valor das liberações é equivalente a dois terços do que a presidente afastada Dilma Rousseff transferiu para administrações municipais entre janeiro e o início de maio: R$ 2,9 bilhões. Nos 133 dias em que foi a titular do cargo neste ano, a petista repassou R$ 21,8 mil, em média, diariamente, a 2 413 municípios. Temer, em 51 dias, transferiu, em média, R$ 38,1 mil por dia.

Os dados se referem a até 2 de julho, quando a legislação eleitoral impõe restrições aos repasses. O reforço no caixa ajuda a acelerar e concluir obras que podem ser vitrines para prefeitos que disputarão a reeleição ou seus candidatos em um ano em que as campanhas tendem a receber menos recursos. O Supremo Tribunal Federal vedou o financiamento de empresas às campanhas, e a reforma eleitoral aprovada no Congresso no ano passado instituiu, pela primeira vez, um teto de gastos.

Maranhão

O levantamento dos repasses a municípios mostra que, em alguns ministérios, o colégio eleitoral do titular da pasta não é determinante para as liberações, mas, sim, a influência política de lideranças regionais.

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) teve seus repasses no governo Temer distribuídos predominantemente a dois Estados. Foram R$ 7,1 milhões (34,6%) para prefeituras do Piauí e R$ 6,1 milhões (29,7%) para o Maranhão. Sua área de atuação, contudo, também abrange Alagoas, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco e Sergipe. A concentração é explicada pelas influências do presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), e do ex­-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP­-MA).


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Sob influência de Waldir Maranhão, estado recebeu R$ 6,1 milhões em repasses”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. mario

    FALANDO DE OUTRO ASSUNTO OLHEI NO PORTAL ATUAL 7 OS FANTASMAS DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO MA O TANTO DE FILHO DE DESEMBARGADOR RECEBENDO SEM TRABALHAR , ETA MARANHÃO VELHO DE MURO BAIXO NÃO VIR UMA REPORTAGEM EM NENHUM BLOG

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários