Poder

Obra parada do VLT em São Luís é destaque em telejornal nacional

Projeto que deveria ajudar a resolver o problema da mobilidade e do transporte público de São Luís está parado há quase quatro anos

1458227641-345424793

A obra parada do Veículo Leve sobre Trilho (VLT) de São Luís foi destaque, na manhã de hoje (6), no Bom Dia Brasil, da TV Globo.

Vários exemplos de obras que poderiam melhorar a mobilidade urbana em cidades do país foram mostrados, entre eles o projeto iniciado na gestão de João Castelo e que não teve continuidade durante a gestão de Edivaldo Holanda Júnior.

Já se passaram quase quatro anos desde que o projeto foi lançado. Segundo a reportagem, dos 13 km de trilhos que deveriam ter sido instalados, apenas 800 metros foram colocados. O custo total do projeto era de R$ 7 milhões, mas, segundo a Prefeitura de São Luís, a obra não teve continuidade por problemas de planejamento. Ainda de acordo com a reportagem, um novo projeto já foi apresentado para o Governo Federal.

Enquanto isso, o VLT segue guardado em um galpão. Mesmo sem funcionar, o VLT custa aos cofres públicos R$ 216 mil para ficar guardado em um galpão até o mês de agosto deste ano. O VLT poderia ser uma das opções para melhorar o transporte público de São Luís, que atualmente dispõe apenas dos ônibus, que não conseguem atender à demanda.

Do Estadão


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

3 comentários em “Obra parada do VLT em São Luís é destaque em telejornal nacional”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Lazaro

    Ser destaque a nível nacional é a consequência mais amena de todas dessa brincadeira de Castelo, que quis fazer a força um VLT sem planejamento algum, apenas para tentar enganar os eleitores, na tentativa de se reeleger. Agora, ainda quer voltar a Prefeitura através de sua testa de ferro, Eliziane Gama.

  2. Leoanrdo

    Não assisti a reportagem, queria saber se falaram da inviabilidade desse VLT que Castelo tentou fazer as pressas apenas para tentar ganhar votos? Que não houve nenhum estudo técnico, o custo benefíco seria baixo, que ele não tinha como passar pela feirinha e nem pelo córrego, era um projeto totalmente inviável.

  3. Eduardo

    Acredito que não se pode culpar Edivaldo porque o VLT não está funcionando atualmente. Foi visível que Castelo correu em implantar pouquíssimos metros somente para tentar uma reeleição, pois a prefeitura nem devia ter verbas para manter um projeto desse naipe. Agora vamos esperar o novo projeto ser viabilizado pelo Governo Federal e aí sim, com o planejamento certo, o VLT deve funcionar.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários