Poder

Maranhão é vaiado na Câmara em sua primeira sessão

O coro foi puxado por parlamentares do PSDB e DEM, que querem novas eleições para o comando da Câmara. A sessão foi só de discursos, não houve votações.

Folha de São Paulo

16138297

Na primeira sessão que de fato presidiu desde que assumiu o comando da Câmara, no dia 5, o presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), foi alvo de várias críticas e ao encerrá-la, de gritos de “fora, fora, fora”.

O coro foi puxado por parlamentares do PSDB e DEM, que querem novas eleições para o comando da Câmara. A sessão foi só de discursos, não houve votações.

Maranhão não respondeu a nenhum dos questionamentos. Os principais vieram do líder do DEM, Pauderney Avelino (AM), que afirmou que Maranhão é marionete do presidente da Câmara afastado, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). “Levante-se dessa cadeira, Maranhão. O presidente afastado continua usando o seu poder para, mesmo afastado, comandar essa Casa pela via do presidente interino.”

Ao fim da sessão, Waldir Maranhão foi cumprimentado por deputados alinhados a presidente Dilma Rousseff, como Orlando Silva (PCdoB) e Pepe Vargas(PT-RS), que lhe disseram que ele “foi bem” na condução.

O presidente interino voltou a falar que não vai renunciar. Apesar de aliados dizerem que ele daria sua primeira entrevista coletiva após assumir o cargo, Maranhão se recusou a falar mais demoradamente com jornalistas, apenas respondeu genericamente algumas perguntas enquanto caminhava escoltado pela segurança ´para seu gabinete.

“Não há renúncia. Nós temos que trabalhar pelo Brasil. A pauta está sobrestada, tem que encaminhar debates que resolvam as questões dos país”, afirmou. Sobre as críticas dos parlamentares, Marasnhão comentou: “O debate democrático é isso.”


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários