Poder

Filho de Lobão fez negócios com o escritório Mossack Fonseca

Estão ainda o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), além de Nestor Cerveró e Edison Lobão.

1_luciano_lobao_2-256424

Luciano Lobão

Um dos maiores vazamentos de informações confidenciais de políticos e empresários mundial expõe o nome do filho do senador Edison Lobão (PMDB-MA), Luciano Lobão.

Segundo os documentos, Luciano tem negócio com o escritório de advocacia e consultoria Mossack Fonseca, no Panamá e é investigado pela Panamá Papers. O filho senador adquiriu uma empresa offshore com a Mossack em agosto de 2011.

Ainda de acordo com os relatos, a empresa foi usada para comprar um apartamento em Miami, nos Estados Unidos em 2013, por US$ 600 mil. O imóvel foi vendido no ano seguinte por US$ 1,08 milhão. A mulher de Luciano Lobão, Vanessa Fassheber Lobão, também aparece como dona da VLF International.

No Brasil, a lista de nomes relacionados à abertura de offshores inclui pessoas ligadas a sete partidos políticos no Brasil: PDT, PMDB, PP, PSB, PSD, PSDB e PTB. Os documentos do escritório Mossack Fonseca integram a investigação Panamá Papers, conduzida por 370 jornalistas, de mais de 100 jornais em 70 países.

Em todo o mundo, 140 autoridades políticas e personalidades internacionais foram citados na investigação – conduzida e publicada no Brasil pelo Uol, Estadão e RedeTV. Também aparecem nos documentos o ex-ministro da Fazenda Delfim Netto, os ex-deputados João Lyra (PSD-AL) e Vadão Gomes (PP-SP) e o ex-senador e presidente do PSDB Sérgio Guerra, morto em 2014. A documentação foi obtida pelo ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos).

1_vlf_internat_edit2-256402

Citados de maneira direta ou indireta nos documentos vazados estão ainda, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), além de Nestor Cerveró e Edison Lobão.

Os documentos revelam que, ao menos, 107 empresas offshore estão ligadas a investigados pela Lava-Jato e que a Mossack Fonseca operou para seis grandes empresas e famílias citadas na operação, como a empreiteira Odebrecht e as famílias Mendes Júnior, Schabin, Queiroz Galvão, Feffer e Walter Faria.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários