Poder

Movimento LGBT pede expulsão de deputado no PCdoB e cassação na Assembleia

Fernando Furtado.

Fernando Furtado.

Após o deputado estadual Fernando Furtado (PCdoB-MA) chamar em discurso no dia 4 de julho no município de São João do Caru, índios de “bando de veadinhos”, o Grupo Gayvota, organização não governamental que trabalha na defesa dos direitos dos gays, lésbicas, travestis e transgêneros de São Luís, denunciou o caso para Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legistativa do Maranhão.

Os Grupo Gayvota, Solidários Lilas de Ribamar e Flor de Bacaba, assinaram representações como lideres do Movimento LGBT. Eles protocolaram no Conselho de Ética da Assembleia pedindo a cassação do parlamentar e, consecutivamente, foi protocolado no Partido Comunista do Brasil (PCdoB) pedindo a expulsão.

O discurso infelizmente do deputado Fernando Furtado também motivou a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos, Caricas e a Pastoral da Terra a formalizarem representação cobrando do Poder Legislativo.

O parlamentar chegou a emitir nota se desculpando e reiterando que trabalha sempre a serviço da população maranhense, sem distinção de raça, gênero ou religião. “Venho a público fazer uma retratação formal em relação aos indígenas, homossexuais, ao PCdoB e a todo o povo do Maranhão”.

Em nota, o partido do governador Flávio Dino, repudiou as declarações do parlamentar que ofendem não apenas índios e homossexuais, como também a história e o programa do Partido Comunista do Brasil, sempre à frente das lutas pela garantia da igualdade e dos Direitos Humanos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Movimento LGBT pede expulsão de deputado no PCdoB e cassação na Assembleia”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Comissão da Assembleia dá parecer a favor da cassação de deputado do PCdoB « Neto Ferreira – Conteúdo Inteligente

    […] A representação foi protocolada não somente na Comissão de Direitos Humanos, mas também no Conselho de Ética do Legislativo pelo Grupo Gayvota – organização não governamental que trabalha na defesa dos direitos dos gays, lésbicas, travestis e transgêneros – Sociedade Maranhense de Direitos Humanos, o Conselho Indigenista Missionário, a Cáritas Brasileira Regional Maranhão, a Comissão Pastoral da Terra Regional Maranhão e a Comissão Arquidiocesana de Justiça e Paz (reveja). […]

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários