Poder

Bomba! Cheque de assessor de Márcio Jerry foi encontrado no cofre do agiota Pacovan

Jerry, Flávio Dino, a ex-prefeita e o filho José Leite.

Jerry, Flávio Dino, a ex-prefeita e o filho José Leite.

A Polícia Civil e o Grupo de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), que investigam o crime de agiotagem no Maranhão, encontraram na casa do agiota Josival Cavalcanti da Silva, conhecido como Pacovan, um cheque de José Wellington da Silva Leite, hoje um dos principais assessores da Secretaria de Estado de Articulação Política, comandada pelo comunista Márcio Jerry.

O documento obtido com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira, até então na revelado, é do Banco da Caixa Econômica Federal. Os policias e o promotor de Justiça Marco Aurélio, da Gaego, vão investigar as razões do cheque do assessor está no cofre do agiota mais famoso do Maranhão.

Filho da ex-prefeita do município de Vargem Grande, Maria Aparecida da Silva Ribeiro, José Wellington da Silva Leite, foi nomeado na Articulação Política do Governo no dia 1º de janeiro (veja abaixo), no cargo de Superintendente, com a simbologia DANS-1. Maria Aparecida responde processo na Justiça por crime de responsabilidade, em um convênio firmado com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento das Cidades.

Em contato com o titular do Blog, o secretário Márcio Jerry disse que só pode se manifestar após conhecimento oficial do caso. Ele Ele disse que não pode agir a partir de uma informação extra oficial, por mais que confie na fonte.

Operações contra agiotagem

No último dia 4 de maio, as Operações “Maharaja” e “Morta-Viva” resultaram na prisão dos prefeitos de Bacuri, Richard Nixon dos Santos; de Marajá do Sena, Edvan Costa; o ex-prefeito de Zé Doca, Raimundo Nonato Sampaio, o Natim; e o ex-prefeito de Marajá do Sena, Perachi Farias; o contador da prefeitura de Marajá do Sena, José Epitácio Muniz, o Cafeteira e Josival Cavalcanti, o Pacovan, apontado nas investigações como agiota, também foi preso e teve cerca de R$ 7 milhões apreendidos.

As investigações sobre Josival Cavalcanti apontam que ele utilizava empresas em nomes de terceiros para se favorecer com negócios em diversas atividades nas prefeituras, como fornecimento de merenda escolar, de medicamentos e material escolar e também em obras. Nas buscas no escritório de Pacovan, na Ceasa, foram apreendidos cartões e declarações de imposto de renda das pessoas utilizadas para abertura de empresas. Um detalhe é que o endereço dessas pessoas informado à Receita Federal é o mesmo de Josival Cavalcanti.

O depoimento do contador José Epitácio Muniz reforça a atuação do esquema criminoso por meio de “empresas laranjas” em contratos com as prefeituras. Muniz confessou ter criado pelo menos quatro empresas para o esquema. Dependendo da área de atuação, existiam “pastas” prontas para serem utilizadas nos negócios, como merenda escolar na Educação, medicamentos na Saúde e Obras.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

3 comentários em “Bomba! Cheque de assessor de Márcio Jerry foi encontrado no cofre do agiota Pacovan”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Zeca Mendes

    Márcio Jerry Camarada, não deixe os escândalos desmoralizar nosso governo que foi conquistado com muita luta e esperança de um povo sofrido, peça desculpa para quem indicou esse José L eite e demita ele e os outros que envergonham este governo. Você viu o escândalo de São Mateus? Eu penso que o tesoureiro não está só, uma camarada de lá me disse que esse José Leite era quem organizava tudo na prefeitura de São Mateus.
    Zeca Mendes

  2. julio cesar

    Esse FD não brinca: depois de fazer queimar um porcão , agora fará o mesmo com um ratão!! O governador é um gênio !!!

  3. Maria Sousa

    O cheque era de apenas 5 mil, o assessor faz o que quiser da vida dele! Deixem o Márcio em paz.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários