Poder

Acareação ouvirá indiciado em morte do advogado Brunno Soares

Os delegados Márcio Dominici (7º Distrito Policial) e Guilherme Sousa Filho (7º Distrito Policial) marcaram para sexta-feira (7) uma acareação onde pretendem esclarecer pontos ainda em dúvida do inquérito que apura o assassinato do advogado Brunno Soares, morto na madrugada do dia 6 de outubro, em São Luís. Foram chamados para a acareação Alexandre Matos Soares, de 25 anos; Kelvin Kim Shiyangue, de 26 anos; e o estudante Diego Polary.

Os três já foram ouvidos pelos delegados nesta quarta-feira (5), mas de forma individual. O primeiro deles foi Alexandre, irmão da vítima, no período da manhã. No início da tarde foi a vez de Kelvin, amigo de Brunno Soares, seguido de Polary.

De acordo com o advogado Luís Pedrosa, um dos membros da comissão nomeada pela OAB para acompanhar o caso, os depoimentos desta quarta não acrescentaram detalhes às investigações. “Não houve novidades. Os três mantiveram seus depoimentos anteriores e por isso a importância dessa acareação de sexta”, afirmou.

Entenda o caso
De acordo com a Polícia, Brunno foi morto a golpes de faca, após a festa de comemoração do senador eleito Roberto Rocha (PSB). O irmão dele, Alexandre Soares, e o amigo Kelvin Chiang, também ficaram feridos.

No inquérito entregue à Justiça, o delegado Márcio Dominici afirma que o crime aconteceu após uma briga generalizada envolvendo as três vítimas; o vigilante João José Nascimento Gomes, Carlos Humberto Marão Filho, 36, e o estudante universitário Diego Polary. (Do G1)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários