Poder

Assembleia entra no caso advogado Brunno e pede para ouvir mãe de vigilante que confessou crime

“A parlamentar recebeu denúncia de que família do vigilante está sendo ameaçada”.

image

A deputada Eliziane Gama (PPS) encaminhou ao presidente da Comissão de Direitos Humanos e das Minorias (CDHM), deputado Bira do Pindaré (PSB) solicitação pedindo que a comissão ouça em caráter de urgência e de forma extraordinária, a mãe do vigilante que confessou a morte do advogado Brunno.

O vigilante João José Nascimento Gomes assumiu de forma inesperada a autoria do assassinato do advogado Brunno Eduardo Matos Soares, de 29 anos, morto a facadas no dia 6 de outubro após a festa de comemoração do senador eleito Roberto Rocha (PSB).

Eliziane esclareceu que o pedido foi feito diante da denúncia recebida por ela de que a família do vigilante estaria sendo coagida e ameaçada.

“É muito estranha esta confissão inesperada do vigilante. Nós precisamos acompanhar o caso e fazer nossa investigação, por isso pedimos esta reunião extraordinária ao presidente da Comissão de Direitos Humanos”, destacou Eliziane Gama.

A parlamentar lembrou que o irmão de Brunno, Alexandre Soares Matos, 25, e o amigo Kelvin Chiang, 26, que também ficaram feridos, apontaram em seus depoimentos o nome de outros suspeitos, e desta forma muito ainda precisa ser elucidado.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

2 comentários em “Assembleia entra no caso advogado Brunno e pede para ouvir mãe de vigilante que confessou crime”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. PIRATA

    VEJA O QUE TINHA NO FACE DE DIEGO NO DIA DO CRIME, SÓ AGORA APARECE ESSE VIGIA, POR QUE NÃO ACUSOU O VIGIA DESDE DO PRIMEIRO DIA?

    Diego Polary
    6 de outubro às 17:34 ·
    Amigos (as) vimos por meio desta ferramenta esclarecer que a fatalidade ocorrida na festa de Roberto Rocha que resultou com a morte do jovem Bruno Matos foi cometida supostamente pelo padrinho do filho do Dj Claudinho Polary e não houve de forma alguma a participação do filho do Dj. A ligação entre os dois ocorre porque o mesmo além de padrinho é tio e convivem na mesma residência…Infelizmente, a família passa também por esse tormento porque o rapaz envolvido é narcótico e se encontrava consumido pela droga. Lamenta-se por tudo o que aconteceu e espera-se que todas as providências legais sejam tomadas, a fim de esclarecer os fatos e que a justiça exerça a sua parte em relação ao culpado. Ressalta-se os filhos do Dj Claudinho Polary convivem com a avó materna que reside na mesa rua que ocorreu o episódio onde todos dormiam e foram surpreendidos pela polícia quando abordaram o suspeito.
    É necessário reconhecermos que “boatos” costumam gerar especulações que muitas vezes prejudicam a imagem de um invíduo. Tanto o pai quanto o filho são comunicadores e exercem serviços de natureza lícita sempre bem sintonizados com a ordem e o respeito humano, portanto espera-se que mais este boato seja “deletado” do caso em questão e que os mesmos assim como nós possamos viver e conviver sem o medo e a insegurança que hoje impera no cenário do Estado.
    Gratos pela atenção e compreensão de todos, amigos do Dj Claudinho Polary
    Compartilhar
    366 pessoas curtiram isso.

  2. PIRATA

    Henrique em 17 de outubro de 2014 às 16:48 disse:
    Palavras de Mário Macieira, Presidente da OAB/MA, em entrevista à rádio Mirante AM:
    “Ficamos muito surpresos com a procura da mãe do vigilante, o João, que afirmou ao presidente da Comissão de Direitos Humanos, o Pedrosa, que ele está sendo coagido. Toda prova anteriormente colhida já apontava para a autoria dos fatos. No depoimento do Marão, quando reinquerido, ele disse que o vigia presenciou, mas não matou. Estamos muito surpresos com isso. Fomos com uma comissão falar com o delegado Marcos Affonso, que nos assegurou que vão investigar todos os fatos, sem proteção. Nós confiamos muito no trabalho da polícia. Os dois sobreviventes reconheceram como autor das facadas o Diego. O Marão declara que o vigia não participou. Como que de uma hora para outra o vigilante assume a autoria dos fatos?”

    Comentar ↓

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários